Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

CHUVA ESTRAGA NEGÓCIO

O Agosto mais chuvoso dos últimos 104 anos em Portugal está a prejudicar os negócios de comerciantes de Verão, que já se queixam de quebras na ordem dos 50 por cento.
25 de Agosto de 2004 às 00:00
Além da chuva inesperada, a perda de poder económico dos portugueses é apontada por comerciantes de praias da linha do Estoril como causa de diminuição de vendas.
“Este mês tem sido um fiasco total”, comentou à Lusa Fátima Varandas, do Bar Varandas, em Carcavelos.
As férias repartidas por várias alturas do ano, as “facilidades” de viajar para o estrangeiro e o “tempo muito instável” são justificações para um Agosto “totalmente diferente” do de anos anteriores.
“Em relação ao ano passado, este Agosto é totalmente diferente. Nem metade das pessoas nem metade do consumo, até porque tem havido uma contenção de despesas muito grande”, afirmou Fátima Varandas.
Junto ao Tamariz, no Estoril, a venda de gelados, um dos negócios de praia mais afectados pela crise e por um Verão instável, chega a registar quebras de 50 a 70 por cento, comparando com igual período do ano passado. Joaquim Lopes, proprietário do Iate Bar, disse que “mesmo em dias bons” nota-se uma quebra na venda de gelados, apontando também como razão a elevada concorrência na zona.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)