Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

CIP condena "abusos" do Governo

O Presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), Francisco Van Zeller, defendeu esta quinta-feira que um Governo de coligação "seria mais útil" e condenou os constantes "abusos de posição dominante" do Executivo de José Sócrates.
7 de Maio de 2009 às 14:10
Francisco Van Zeller defendeu coligação
Francisco Van Zeller defendeu coligação FOTO: d.r.

Sublinhando que 'o Governo não tem o direito de impor soluções', Van Zeller defendeu que no actual contexto de crise 'tendemos a pensar que talvez uma coligação transmitisse melhor as nossas preocupações'.

Para o presidente da CIP, a lei da reestruturação de grandes empresas, onde se introduziram quotas para rescisões por mútuo acordo, é um dos exemplos do autoritarismo do Governo.

Neste quadro, Van Zeller apresntou um conjunto de 60 medidas para combater os efeitos da crise, onde se inclui a aplicação das quotas de acesso ao subsídio de desemprego na sequência da revogação do contrato de trabalho por mútuo acordo.

'Há grandes empresas que não conseguem reestruturar-se por causa da dificuldade em rescindir contratos por mútuo acordo, porque as pessoas não querem ficar numa situação de desemprego', afirmou o empresário.

ADIAR POR 10 ANOS PROJECTO DO TGV

A actual crise financeira é o motivo levantado por Van Zeller para adiar a ligação Porto-Lisboa do TGV em 10 anos.

Apesar de reconhecer que Portugal está 'mal servido ao nível dos transportes', o presidente da CIP defende que a solução imediata passa por melhorar a actual linha ferroviária, permitindo aumentar a frequência e rapidez das ligações.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)