Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

CIP CRITICA ESTÍMULOS AO CONSUMO

O presidente da Confederação da Indústria Portuguesa (CIP), Francisco Van Zeller, duvida que o desvio dos estímulos à poupança para o consumo, segundo a proposta de Orçamento de Estado (OE) para 2005, “seja a política apropriada”.
19 de Outubro de 2004 às 00:00
“Tenho dúvidas que o desvio dos estímulos à poupança para o consumo seja a política apropriada, porque devia manter-se a política de contenção”, disse Francisco Van Zeller à Lusa, sublinhando que não é a poupança que acaba, mas os estímulos à mesma.
O presidente da CIP adiantou que o aumento do consumo e a redução do IRS traduzem um abrandamento da luta pela consolidação orçamental, o que poderá trazer consequências para as negociações na Concertação Social, pois os sindicatos vão reclamar por essa redistribuição.
“Por razões políticas o Governo foi obrigado a fazê-lo, mas por razões económicas é gravoso”, realçou Van Zeller.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)