Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

COMISSÃO INFLEXÍVEL COM CONTAS PORTUGUESAS

A Comissão Europeia não vê razões para alterar a formulação contestada por Lisboa sobre as orientações económicas para Portugal que vai ser discutido pelos ministros das Finanças, hoje em Madrid.
19 de Junho de 2002 às 22:38
Segundo um porta-voz da Comissão Europeia a formulação do corrente ano é idêntica à do ano passado e ainda à que o governo português inscreveu no seu programa de estabilidade actualizado, apresentado em Dezembro de 2001.


"A origem da formulação é consistente com os compromissos que os países fizeram", acrescentou o mesmo porta-voz.


O novo governo de Lisboa pretende que no capítulo dedicado a Portugal, a directriz dada para que o País alcance uma situação orçamental "equilibrada" em 2004 seja alterada para "próximo do equilíbrio", alinhando-se assim com aquela que é feita para outros Estados-membros, como a Alemanha.


Na última reunião dos ministros das Finanças, Manuela Ferreira Leite mostrou-se optimista sobre a resolução do problema: "Julgo que fomos compreendidos pela grande maioria dos nossos parceiros, com excepção da Alemanha".


A resolução desta reserva de Lisboa, e de outras apresentadas pela França, Alemanha, Reino Unido e Bélgica, impediram que os ministros das Finanças tivessem chegado a acordo sobre as Grandes Orientações de Política Económica.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)