Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Condenação de Zenu deixa Isabel dos Santos cercada

Cinco anos por burla e tráfico de influências, mas recurso para o pleno evita entrada na cadeia.
Miguel Alexandre Ganhão(miguelganhao@cmjornal.pt) 15 de Agosto de 2020 às 09:02
Isabel dos Santos
'Zenu' dos Santos
Isabel dos Santos
'Zenu' dos Santos
Isabel dos Santos
'Zenu' dos Santos
O filho do ex-presidente de Angola, José Filomeno ‘Zenu’ dos Santos, foi esta sexta-feira condenado a cinco anos de prisão, pelo Tribunal Supremo de Angola, pela prática dos crimes de burla e tráfico de influências quando era presidente do Fundo Soberano.

Esta sentença torna a posição de Isabel dos Santos perante a Justiça angolana mais frágil, tanto mais que os argumento invocados pela defesa do irmão, de que estava a cumprir ordens do presidente, foram consideradas irrelevantes pelo tribunal. Esta linha de defesa é aquela que também tem sido utilizada por Isabel dos Santos para justificar os negócios realizados no setor dos diamantes e do petróleo.

Os factos remontam a 2017 quando Jorge Gaudens Pontes Sebastião, amigo de ‘Zenu’ e também condenado a seis anos de prisão, apresentou ao filho do ex-chefe de Estado uma proposta para o financiamento de projetos estratégicos para o país. O objetivo era constituir um Fundo de Investimento Estratégico que captaria para o país 35 000 milhões de dólares.

Por ordem de José Eduardo dos Santos foram assinados dois acordos entre o Banco Nacional de Angola (BNA), liderado por Valter Filipe (agora condenado a seis anos de prisão), e a Mais Financial Services, empresa do amigo de ‘Zenu’, para a montagem da operação de financiamento, tendo sido, em agosto de 2017, transferidos 500 milhões de dólares para a conta da empresa PerfectBit, "contratada pelos promotores da operação", para fins de custódia dos fundos em Londres.

José Eduardo dos Santos testemunhou neste processo, por carta, admitindo que foi sob a sua orientação que Valter Filipe, então governador do BNA, agiu, "tudo no interesse público", o que foi desvalorizado pelo tribunal. Os advogados dos réus recorreram da sentença para o pleno do Tribunal Supremo, pelo que todos vão esperar em liberdade.

"Usar os filhos para fazer mal ao pai que tudo lhes deu"
A ex-deputada do MPLA Tchizé dos Santos lamentou a condenação do irmão a cinco anos de prisão, considerando que o objetivo era atingir o pai, o ex-presidente angolano José Eduardo dos Santos. "Usar-se os filhos para fazer mal ao pai politicamente mais forte que hoje escolhem como adversário político, mas por sinal tudo lhes deu... que cobardia", afirmou numa mensagem escrita enviada à Lusa.
Ver comentários