Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Confirmada vitória dos chineses na corrida à EDP

A Parpública – Participações Públicas (SGPS) já comunicou à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) que o Conselho de Ministros procedeu esta quinta-feira à “selecção da China Three Gorges Corporation para efetuar a aquisição da totalidade das 780 633 782 acções representativas de 21,35% do capital social da EDP – Energias de Portugal, S.A. (EDP)”. O comunicado acrescenta que a proposta chinesa foi apresentada “em termos que satisfazem adequadamente o Governo”. Para terminar, esclarece o mesmo documento que “a referida alienação será efectuada pelo preço global de 2.693.186.548 euros, incorporando um prémio de 53,6% em relação ao preço de mercado no dia 21 de dezembro”.
22 de Dezembro de 2011 às 15:00
Os chineses não fazem questão de substituir António Mexia na administração da EDP. A última palavra caberá ao Governo
Os chineses não fazem questão de substituir António Mexia na administração da EDP. A última palavra caberá ao Governo FOTO: Miguel A. Lopes/Lusa

No final do Conselho de Ministros desta quinta-feira, a secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque, declarou que "foi conseguido o parceiro de relevo para a EDP". Adiantando ainda que "dependerá da vontade dos accionistas a gestão da EDP", referindo-se à manutenção do actual Conselho de Administração da empresa, presidido por António Mexia. 

Na corrida à privatização da última fatia de capital do Estado na EDP - 21,35% - estavam também os alemães da E.On, que ofereciam ao Governo português um valor por acção de 3,25 euros por acção, e os brasileiros da Petrobras, que davam 3,28 euros por título.

Os chineses já tinham garantido que não pretendem alterar a estrutura de gestão da EDP, liderada por António Mexia, mas a última palavra cabe ao Governo.

EDP Privatização. Chineses Three Gorges
Ver comentários