Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Consumo privado abranda

O Banco de Portugal prevê um abrandamento do consumo privado para a segunda metade de 2005.
19 de Novembro de 2005 às 00:00
As nossas importações continuam superiores às exportações
As nossas importações continuam superiores às exportações FOTO: Natália Ferraz
No relatório deste mês sobre os indicadores de conjuntura do nosso país, a instituição governada por Vítor Constâncio disse que “o indicador coincidente mensal para a evolução homóloga do consumo privado” teve um movimento “descendente ao longo do ano corrente”.
Do indicador do consumo privado constam várias rubricas, entre as quais o volume de negócios no comércio a retalho e na indústria e as vendas de veículos ligeiros.
Vários economistas alertaram que a nossa economia não poderia crescer por via do consumo privado. Mas parece que nem por aqui. Aliás, continuamos a importar mais do que exportamos. Segundo o Banco de Portugal, de Janeiro a Agosto últimos, as nossas vendas ao estrangeiro cresceram apenas 1,5 por cento. E as nossas compras aos outros países aumentaram 5,4 por cento.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)