Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Crédito para comprar casa volta a disparar

É preciso recuar até 2010 para encontrar um saldo tão elevado em crédito à habitação.
João Maltez 9 de Outubro de 2019 às 01:30
Habitação em Portugal
Banco de Portugal
Habitação em Portugal
Banco de Portugal
Habitação em Portugal
Banco de Portugal

Os bancos já emprestaram este ano mais de 6,8 mil milhões de euros às famílias para compra de casa, o equivalente a uma média diária superior aos 28 milhões de euros, segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Banco de Portugal (BdP). É preciso recuar até 2010 para encontrar um saldo intermédio – até agosto – tão elevado na concessão de crédito à habitação, já que nesse ano foram concedidos nos primeiros oito meses quase sete mil milhões de euros.

Apenas em agosto deste ano, as instituições financeiras emprestaram 975 milhões de euros para compra de casa, o valor mensal mais elevado desde junho de 2018, quando o volume de crédito à habitação atingiu 990 milhões de euros, ainda de acordo com informação do regulador setorial.

Esta subida do volume dos empréstimos para aquisição de casa tem ocorrido mesmo depois de o BdP ter recomendado – através de uma medida macroprudencial que entrou em vigor a 1 de julho do ano passado – que os bancos colocassem um travão na concessão de novos créditos à habitação e ao consumo. O objetivo seria evitar a exposição das instituições a demasiados riscos, mas também que as famílias não colocassem em causa a sua estabilidade financeira.

A verdade é que os bancos nacionais têm vindo a apostar no crédito à habitação como uma fonte de receitas – apesar de as taxas de juro estarem a cair (ver texto nesta página) –mas também de modo a fidelizarem clientes, já que estes ficam fidelizados à instituição através da contratação de outros serviços ou produtos.

Importa referir que, contrariamente ao que sucede com o crédito à habitação, segundo o BdP, o financiamento que tem como finalidade o consumo recuou em agosto. Foram emprestados 466 milhões de euros em crédito ao consumo, menos 49 milhões de euros que o valor de julho.

Taxa de juro atinge mínimo histórico no mês de agosto
A taxa de juro média dos novos créditos à habitação caiu em agosto para 1,04%, face aos 1,26% registados em julho, o que corresponde, segundo o Banco de Portugal, a um novo mínimo histórico.

A mesma fonte avança que esta redução é essencialmente justificada pela "evolução da taxa de juro decorrente de renegociações de contratos de crédito já existentes". No crédito ao consumo, a taxa de juro média foi 7,02%.

Penhora fica mais célere
Os agentes de execução vão ter o acesso facilitado às bases de dados da Segurança Social, Fundo de Garantia Salarial e a Caixa Geral de Aposentações para execução de penhoras de prestações sociais e pensões nos processos executivos dos tribunais judiciais.

Este acesso visa garantir maior celeridade e eficiência à ação executiva, segundo a portaria publicada ontem em Diário da República.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)