Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Crescimento é anémico

“O crescimento em Portugal existe, mas é anémico”, ou seja “demasiado lento e fraco”. As palavras são de José Poças Esteves, consultor da SaeR – Sociedade de Avaliação de Empresas e Risco. A consultora, gerida pelo economista Ernâni Lopes, considera, no seu relatório de Dezembro, que as medidas que estão a ser tomadas para dinamizar a economia portuguesa são insuficientes para a colocar numa rota de crescimento forte e consolidado.
9 de Janeiro de 2007 às 00:00
Ernâni Lopes
Ernâni Lopes FOTO: Manuel Moreira
“O caminho é por aí. Deve é ser mais rápido e olhar para um horizonte a longo prazo”, disse o consultor. “Ora, ainda há sectores completamente ignorados”, acrescentou José Esteves, referindo-se ao sector marítimo, do turismo e do ambiente.
Para José Poças Esteves, o crescimento económico nacional está “muito dependente do lado externo” e por isso é um crescimento que “Portugal não controla”.
A SaeR aconselha que Portugal controle mais o processo e para isso é importante “olhar para Oriente, apostar em sectores estratégicos e apostar mais no consumo, centrando-nos na cadeia de valor”.
Ver comentários