Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Crise será mais grave em 2012

O Banco de Portugal no seu boletim de Outono, publicado esta quinta-feira reviu em baixa as projecções económicas para Portugal. Para 2012, o PIB irá contrair-se em 2,2 por cento (no relatório de Verão a contracção era de 2 por cento). Para este ano, o PIB deverá contrair 1,9 por cento, contra os 1,8 por cento previstos no relatório de Verão.
6 de Outubro de 2011 às 12:57
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa
O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa FOTO: d.r.

Haverá ainda uma acentuada quebra no consumo público. Os responsáveis do banco de Portugal apontam para uma queda de 3,3 por cento em 2011 e 4,1 por cento para 2012. Neste cenário não estão incluídas as novas medidas que serão incorporadas no Orçamento de Estado para 2012.

Segundo o Banco de Portugal, tratam-se de projecções que poderão piorar significativamente quando o Orçamento para 2012 for conhecido. O objectivo para o cumprimento do défice estabelecido para 2011 e 2012 só será atingido "com medidas adicionais significativas", admitem os responsáveis do regulador. Essas medidas poderão reflectir uma aceleração daquelas que já se encontram previstas no Documento de Estratégia Orçamental, nomeadamente uma mais rápida e maior transferência dos fundos de pensões da banca, concluem.

Crise Banco de Portugal Austeridade
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)