Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

DE OLHO NA ENERGIA

Com a ida para férias, a liquidez reduz-se ao mínimo. Esta semana, os motivos de interesse estão concentrados no sector energético.
2 de Agosto de 2004 às 00:00
DE OLHO NA ENERGIA
DE OLHO NA ENERGIA
Em primeiro lugar a EDP. A eléctrica portuguesa reforçou a sua posição na Hidrocantábrico, admitindo a Cajastur como accionista de referência. Uma operação que implica um aumento de capital de 1,2 mil milhões de euros reservado aos accionistas.
Este esforço financeiro penalizou fortemente o título (uma queda superior a cinco por cento) no fim da passada semana. Uma queda explicada pela falta de entusiasmo dos três maiories accionistas da eléctrica portuguesa, que só vão decidir se acompanham o aumento de capital depois de conhecerem os termos exactos da operação.
Fonte oficial do BCP, que a 31 de Dezembro do ano passado era o segundo maior accionista da eléctrica, com 5,05 por cento do capital, disse à Lusa que o banco analisará “oportunamente os termos que vierem a ser definidos e aprovados em Assembleia Geral para a realização da operação”. A mesma resposta foi dada pela espanhola Iberdrola e pela Brisa.
Hoje terá lugar a assinatura do contratto de privatização da Galp Energia com o consórcio Petrocer. Um processo que se viu envolvido em polémica na sua parte final, com o Grupo Mello e o consórcio Luso Oil a ameaçarem recorrer para Tribunal.
Ver comentários