Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Défice deveria ser de 12%

Henrique Medina Carreira disse ontem no Fórum para a Competitividade sobre o Orçamento de Estado (OE) para 2006, no Centro Cultural de Belém, que “o défice não deveria ser de seis, mas sim de 12 por cento”, devido à subida dos impostos e da despesa pública que se irá sentir no próximo ano.
4 de Novembro de 2005 às 00:00
Medina Carreira
Medina Carreira FOTO: arquivo cm
No final da sua intervenção, Medina Carreira assinalou a questão dos direitos adquiridos públicos e frisou que estes “têm de ser revistos”.
No mesmo Fórum, Teodora Cardoso afirmou que Portugal é “de longe” o país mais vulnerável da Zona Euro a uma subida das taxas de juro e considera que a eventual subida das taxas directoras do Banco Central Europeu (BCE) é um dos grandes obstáculos ao cumprimento da proposta do OE de 2006. Por outro lado, o economista Miguel Beleza, durante a sua intervenção, afirmou que votaria favoravelmente grande parte do OE com algumas excepções, como a “parte fiscal e as grandes obras públicas do novo aeroporto e do TGV”.
Durante a conferência de Imprensa, Luís Mira Amaral apoiou a proposta do Governo frisando que é “globalmente positiva, embora não seja ideal”.
Ver comentários