Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

Desemprego dispara no Algarve e em Lisboa

Região algarvia tinha em agosto mais 13 072 inscritos nos centros de emprego, uma subida de 178% num ano.
João Maltez 22 de Setembro de 2020 às 08:15
IEFP
Centro de Emprego
IEFP
Centro de Emprego
IEFP
Centro de Emprego
O total de inscritos nos centros de emprego em todo o País subiu em agosto 34,5% para 409 mil, mais 105 mil face ao mesmo mês do ano passado. O Algarve, onde o desemprego registado disparou quase 178%, e Lisboa e Vale do Tejo, com um crescimento na ordem dos 48%, contribuíram em grande medida para os números negativos registados a nível nacional, divulgados esta segunda-feira pelo Instituto do Emprego e Formação Profissional.

O contexto marcado pela pandemia da Covid-19 e por uma uma crise económica em que o setor do turismo é um dos mais afetados permite explicar boa parte do crescimento expressivo de pessoas inscritas nos centros de emprego algarvios (mais 13 072 face a agosto de 2019). Contudo, em valores absolutos, Lisboa e Vale do Tejo destaca-se (+43 804 inscritos), seguindo-se a região Norte, com uma subida de 30 732 desempregados registados, um aumento anual superior a 24%.

Resultado direito da crise no Turismo, o setor do alojamento, restauração e similares foi que registou um maior crescimento de inscritos nos centros de emprego (mais 88,4%) no mês de agosto, comparativamente ao mesmo mês do ano passado, seguido da área dos transportes e armazenagem (+63,5%). Expressiva foi igualmente a subida do desemprego registado na indústria do couro e dos produtos do couro (+57,5%).

Número de casais no desemprego sobe 17,5%
O número de casais em que ambos os cônjuges se encontravam registados como desempregados era, no final de agosto, 6456, mais 17,5% face ao mesmo mês de 2019, revelou esta segunda-feira o Instituto de Emprego e Formação Profissional

Este conjunto de 12 912 pessoas correspondia a 8% do total de desempregados registados (383 482) no período em apreço em Portugal Continental. Contabilizando também as regiões autónomas da Madeira e dos Açores, o número de inscritos nos centros de emprego chegava aos 409 331.
Ver comentários