Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Despedimento coletivo na TAP já levou à saída de trabalhadores da companhia

Empresa apresenta menos 1820 colaboradores do que um ano antes, com custos 5,3% mais baixos.
Lusa 25 de Novembro de 2021 às 19:10
Avião da TAP
Avião da TAP FOTO: Mário Cruz/Lusa
O despedimento coletivo na TAP já levou à saída de trabalhadores da companhia no terceiro trimestre deste ano, adiantou, ressalvando, no entanto, que a maioria dos colaboradores que abandonaram a empresa foi através de medidas voluntárias.

Num comunicado, esta quinta-feira publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a TAP revelou que, no terceiro trimestre deste ano, "nos custos com pessoal, e apesar da diminuição de 114 colaboradores no trimestre, verificou-se uma subida de 11,7% maioritariamente devido aos custos variáveis em resultado da recuperação da atividade".

De acordo com a TAP, "a maioria das saídas de colaboradores este trimestre foram voluntárias, mas também já se verificaram saídas no contexto do despedimento coletivo que começou em 01 de setembro e terminou em 16 de outubro de 2021", lê-se na mesma nota.

No período entre janeiro e setembro, a companhia revelou que "nos custos com pessoal, o 'headcount' [número de trabalhadores na empresa] apresenta menos 1.820 colaboradores do que um ano antes, com custos 5,3% mais baixos".

A companhia aérea apresentou esta quinta-feira os seus resultados nos primeiros nove meses do ano, altura em que os seus prejuízos atingiram os 627,6 milhões de euros, uma melhoria de 10,4% em termos homólogos.

"O resultado líquido a 30 setembro de 2021 foi negativo em 627,6 milhões de euros, o que representa uma melhoria de 73,0 milhões de euros quando comparado com o período homólogo", lê-se na mesma nota.

"Para este resultado contribuiu o impacto negativo das diferenças de câmbio de -125,3 milhões de euros dos quais 104,6 milhões de euros "são devidos à depreciação EUR/USD em rendas futuras e por isso sem impacto em caixa", acrescenta o comunicado à CMVM.

De acordo com a companhia aérea, "as receitas a 30 setembro 2021 foram marcadas pela recuperação do tráfego de verão, mas ainda 67% abaixo de 2019, com o Brasil a abrir fronteiras apenas no início de setembro e os EUA ainda fechados" destacou a TAP.

Assim, "o total de receitas operacionais alcançou 826,8 milhões de euros ligeiramente abaixo em 1,7% quando comparado com o mesmo período em 2020", indicou, salientando que "para este resultado contribuiu o decréscimo em receitas de passageiros de 91,2 milhões de euros (-13,0% YoY), o qual foi parcialmente compensado pelo segmento de carga e correio, que aumentou 81,9 milhões de euros (+102,8%)".

TAP CMVM economia negócios e finanças Informação sobre empresas grandes empresas
Ver comentários