Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Destituição não será discutida

Depois de ter sido obrigado a retirar a sua proposta na última assembleia geral do Banco Comercial Português, realizada no Porto a 28 de Maio, Jorge Jardim Gonçalves voltou à carga e convocou os donos da instituição financeira para discutir o futuro do banco.
2 de Julho de 2007 às 00:00
Destituição não será discutida
Destituição não será discutida FOTO: João Abreu Miranda / Lusa
Num comunicado enviado ontem à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o conselho de administração do BCP diz que recebeu de Jardim Gonçalves a garantia de que “não existem propostas preparadas ou em preparação relativas à notícia da destituição ou suspensão do presidente do conselho de administração executivo”.
O conselho superior do BCP é um órgão exclusivamente composto por accionistas do banco eleitos em assembleia geral.
Presidido por Jardim Gonçalves, o conselho superior tem quatro vice-presidentes: António Costa Gonçalves, Gijsbert J. Swalef, João Pinto Basto, Pedro Teixeira Duarte e Vasco de Mello. Dos quais dois, Pedro Teixeira Duarte (presidente da construtora Teixeira Duarte) e Gijsbert Swalef (representante da seguradora Eureko) já manifestaram o seu apoio ao presidente do conselho superior.
Este organismo conta ainda com 17 vogais, estando entre eles António Mexia (presidente executivo da EDP), Alexandre Soares dos Santos (presidente do Grupo Jerónimo Martins), Dimitrios Contominas(fundador do Millennium Bank, instituição do BCP na Grécia).
É este grupo de notáveis que hoje se reúne para apreciar as últimas decisões de Paulo Teixeira Pinto à frente da presidência do banco, com a garantia dada de que não será pedida ‘a cabeça’ do presidente.
O CONFRONTO
Mais uma vez, Jardim Gonçalves e Paulo Teixeira Pinto vão confrontar-se dentro da organização do Banco Comercial Português.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)