Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Desviam meio milhão de adega

Três elementos de uma antiga direcção da Adega Cooperativa de Vila Nova de Foz Côa, que fechou as portas no início do ano na sequência de um processo de insolvência, são suspeitos de se terem apoderado de "meio milhão de euros" da instituição, entre os anos de 2000 e 2005.
6 de Julho de 2011 às 00:30
A adega ganhou protagonismo quando, em 1997, decidiu mergulhar no rio seis mil garrafas de vinho
A adega ganhou protagonismo quando, em 1997, decidiu mergulhar no rio seis mil garrafas de vinho FOTO: direitos reservados

Os suspeitos são o presidente, o tesoureiro e o secretário de uma anterior direcção da Adega Cooperativa, que foram constituídos arguidos pela prática dos crimes de administração danosa e apropriação ilegítima de valores. Foi ainda constituído arguido um funcionário da Casa do Douro, residente em Peso da Régua.

Os crimes foram investigados pela Polícia Judiciária da Guarda, que concluiu agora as diligências e remeteu o inquérito ao Ministério Público, com proposta de dedução de acusação.

A investigação, que decorria desde 2007, recolheu documentos que comprovam o desvio de meio milhão de euros da conta bancária da Adega Cooperativa para contas bancárias dos suspeitos.

A Adega Cooperativa de Vila Nova de Foz Côa ganhou protagonismo quando decidiu mergulhar no fundo do rio seis mil garrafas de vinho de 1997, o que lhes rendeu três milhões de euros.

ADEGA VINHO DESVIO VILA NOVA DE FOZ CÔA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)