Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Dinheiro está adiado

Os ministros das Finanças da zona Euro – Eurogrupo – não chegaram a acordo sobre o pagamento da nova tranche de ajuda à Grécia, de oito mil milhões de euros, colocando o país numa situação em que os salários dos funcionários públicos estão em risco. A decisão só deverá ser tomada dia 13. Perante mais um adiamento, o primeiro-ministro português pediu uma aprovação rápida do fundo de resgate, para evitar o contágio a outras economias.

4 de Outubro de 2011 às 01:00
Ministros das Finanças só libertam o dinheiro no dia 13
Ministros das Finanças só libertam o dinheiro no dia 13 FOTO: Nicolas Bouvy/Epa

Ontem, a Grécia admitiu que vai ter um défice de 8,5 % este ano e de 6,8% em 2012, não cumprindo as metas impostas no acordo de resgate assinado com a Comissão Europeia, BCE e FMI, ao mesmo tempo que anunciou mais austeridade. Ainda assim, o ministro das Finanças grego, Evangelos Venizelos, recusou que a Grécia seja "o bode expiatório" da Europa.

Apesar deste impasse, os ministros da Finanças dos 27 países da União Europeia deverão aprovar, hoje, um plano de estímulos à economia unicamente dirigido à Alemanha e a alguns países nórdicos, como a Suécia ou a Finlândia. O objectivo é evitar que as medidas para travar a crise da dívida soberana atrasem a recuperação da economia europeia.

GRÉCIA DINHEIRO CRISE BANCARROTA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)