Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Do mar português para todo

O peixe em conserva é um produto de qualidade que tem conquistado mercado em todo o Mundo. A Cofisa trata anualmente, na Figueira da Foz, cerca de 20 mil toneladas de pescado para os clientes mais exigentes
12 de Abril de 2013 às 15:00

O peixe em conserva é considerado um produto gourmet em vários países do Mundo. Cavalas, sardinhas e atum, pescados ao largo de Portugal, são alguns dos peixes mais apreciados além-fronteiras.

A Cofisa dedica-se à produção e divulgação desses produtos. A empresa tem 18 anos e é dirigida há 10 pela mão de José Freitas. O empresário, 58 anos, que toda a vida trabalhou em empresas de conservas, não tem dúvidas: "O produto em conserva português tem uma enorme imagem de qualidade nos locais onde chega. Tem uma grande tradição, motivada principalmente pela qualidade da nossa sardinha. Temos um produto de grande qualidade", refere o CEO da Cofisa.

Na lota da Figueira da Foz, onde a empresa tem a sua unidade industrial, são anualmente tratados e embaladas cerca de 20 mil toneladas de peixe. A Cofisa iniciou a atividade com um volume de negócios de 5,6 milhões de euros. Atualmente movimenta 35 milhões de euros. "A empresa cresceu muito nos últimos dez anos. Passámos a atuar em vários países do Mundo, a levar produtos de qualidade a vários mercados", refere

Cerca de 60% do que se produz na unidade industrial da Figueira da Foz é para exportar para vários mercados: Itália, Norte de África, Japão, Arábia Saudita, Israel, Brasil, EUA e Canadá são alguns exemplos.

"Temos um enorme mercado em Itália no que diz respeito às cavalas em conserva. É um produto de excelente qualidade, que os portugueses ainda estão a descobrir. Para os vários países do Norte de África, vendemos muito atum com tomate. O mercado nacional absorve cerca de 40% da nossa produção. Abastecemos os principais hipermercados do país", salienta José Freitas.

A empresa deve parte do seu sucesso à inovação e aposta na qualidade. "Temos alguns produtos exclusivos, como o berbigão enlatado. Estamos a ultimar o lançamento de um produto inovador: as salsichas de atum. Não existe em mais nenhum lado no Mundo. É um produto que estará no mercado até junho. É uma aposta da nossa empresa na diferenciação e na qualidade, num novo produto. Acreditamos que terá muito sucesso em vários mercados", adianta José Freitas.

Na Cofisa trabalham 200 colaboradores. "Apesar de termos equipamento de ponta, parte do trabalho que fazemos na unidade industrial é manual. O peixe é cortado e preparado antes de seguir para a linha de tratamento que embala e acondiciona o produto", diz. São várias as etapas até o peixe chegar "à lata". É lavado, cozido, é adicionado o azeite e posteriormente acondicionado no interior da lata com recurso a processos inovadores. O produto poderá assim ficar enlatado vários anos, sem perder qualidade. A Cofisa conta com três marcas próprias: Vasco da Gama, Cofimar e Cofisa. O futuro da empresa passa pela consolidação do negócio, quer no mercado nacional quer internacional. "Em dez anos a empresa tem crescido muito. Conheceu novos mercados. O objetivo agora passa pela consolidação do negócio", explica o CEO. "O Brasil é um mercado muito interessante, onde estamos a investir com alguns produtos de marca própria", diz.

Primeiro Emprego Cofisa conservas peixe José Freitas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)