Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

EDP: Accionistas aprovam 3,1 milhões para Mexia

O ponto 6 da ordem de trabalhos da Assembleia-Geral da EDP, relacionado com a política de remunerações, foi aprovado esta sexta-feira. Antes, José Maria Ricciardi, do BES Investimento (BES I), tinha assumido uma posição contra o corte de salários dos gestores da EDP.
16 de Abril de 2010 às 19:03
António Mexia
António Mexia

Com esta aprovação, o presidente executivo da EDP, António Mexia, receberá os 3,1 milhões de euros, entre salário e prémios.

O presidente do BES I considerou esta sexta-feira que o que foi esgrimido em torno dos salários dos gestores é "uma asneira".

"A EDP não tem um monopólio e 50 por cento da sua actividade está no estrangeiro", salientou o representante do BES I.


O accionista de referência afirmou, na conferência, que iria votar a favor da proposta que permitirá a António Mexia, presidente-executivo da EDP, receber 3,1 milhões de euros entre salários e prémios. 

Entre os pequenos accionistas, o sentimento foi misto, havendo os que consideram "uma afronta" um salário tão elevado neste País, e os que defendem que "quem trabalha bem merece receber bem". Os accionistas vão agora votar esse ponto da agenda.

Ver comentários