Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

Empréstimo do carro trava euforia no crédito

Portugueses estão a pedir menos dinheiro para automóveis.
Wilson Ledo 16 de Abril de 2019 às 08:50
Vendas de veículos novos abrandaram no mês de fevereiro, o que também fez cair o montante dos financiamentos
Carro
Dinheiro
Vendas de veículos novos abrandaram no mês de fevereiro, o que também fez cair o montante dos financiamentos
Carro
Dinheiro
Vendas de veículos novos abrandaram no mês de fevereiro, o que também fez cair o montante dos financiamentos
Carro
Dinheiro
Os bancos emprestaram aos portugueses, em fevereiro, 575 milhões de euros em crédito ao consumo. Os dados do Banco de Portugal mostram que o valor está em linha com o mesmo mês de 2018.

Contudo, são mais nove milhões de euros face a janeiro. A impedir que o bolo de empréstimos seja ainda maior esteve o crédito automóvel, que caiu 3,4% em termos homólogos, para 217 milhões de euros.

O valor mensal para o financiamento automóvel é o mais baixo desde abril de 2017 e vem reforçar um cenário já traçado pela ACAP: os portugueses estão a comprar menos carros novos, tendo as vendas caído mais de 8% no segundo mês do ano.

O crédito pessoal continua a representar a maior fatia do crédito ao consumo, de 266 milhões de euros (+1,3%).

Deste total, quase 259 milhões dizem respeito a créditos sem fim específico, que incluem férias ou a compra de eletrodomésticos.

Outra forma de os portugueses conseguirem crédito é através do saldo que deixam a descoberto nos cartões bancários. Em fevereiro, os bancos cederam 92 milhões a descoberto, representando um aumento de 5,1% face ao mesmo mês de 2018.

O número de contratos de crédito ao consumo assinados em fevereiro também segue em sentido negativo. Foram firmados 122 473 contratos, menos 1800 do que no mesmo mês do ano passado.

Menos dormidas e ganhos a abrandarem
Portugal registou 1,4 milhões de hóspedes e 3,3 milhões de dormidas em fevereiro. Apesar de o número de hóspedes ter aumentado 2,9% face ao mesmo mês de 2018, o número de dormidas contraiu 1%.

O INE alerta que estes dados refletem o efeito do Carnaval, que em 2018 teve lugar em fevereiro.

Mesmo com os ganhos do setor do alojamento de turistas a abrandarem, o indicador aumentou 4,4% em fevereiro, para os 172 milhões de euros. Assim, mesmo ficando menos noites, os turistas estão a gastar mais.
ACAP Portugal Banco de Portugal INE macroeconomia economia (geral) conjuntura serviços financeiros
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)