Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Espanhóis da Abertis vão estudar OPA sobre a Brisa

O grupo espanhol Abertis "vai estudar" a oferta pública de aquisição (OPA) anunciada esta quinta-feira sobre a Brisa, onde controla 15,003 por cento do capital, recusando-se para já a fazer qualquer comentário ou avaliação. "Vamos estudar a oferta. Temos que analisar o documento", afirmou à Lusa fonte oficial do grupo.
29 de Março de 2012 às 17:47
Francisco Reynes Massanet é um dos responsáveis pela Abertis
Francisco Reynes Massanet é um dos responsáveis pela Abertis FOTO: Albert Gea/Reuters

A empresa reagia assim ao anúncio de que a Tagus, detida pela José de Mello Investimentos e pela AEIF Apollo, lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a Brisa, segundo um comunicado enviado esta quinta-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

A contrapartida oferecida, a pagar em dinheiro, é de 2,66 euros por acção, o que representa uma valorização de 13 por cento face ao valor da cotação da Brisa, que rondava os 2,35 euros nesta sessão.

Na terça-feira, antes da junta de acionistas da Abertis, o conselheiro delegado do grupo espanhol, Francisco Reynes Massanet, considerou que "financeiramente a Brisa não é um activo disponível para venda e enquanto estiver neste valor" não seria vendida.

Questionado pela Lusa sobre o reforço recente no capital da empresa, Reynes Massanet explicou que a Abertis tinha aumentado a sua participação para 15,003 por cento para se "envolver mais" na empresa e ajudá-la a recuperar algum do valor que perdeu em bolsa nos últimos meses.

"Sempre dissemos que as nossas participações são estratégicas enquanto houver espaço para desenvolver a nossa vontade que é, como sócio industrial, de ter um papel relevante na gestão, participando e ajudando a consolidá-la", afirmou à Lusa em Barcelona.

Brisa OPA José de Mello Abertis Espanha Auto-estradas Concessionária Oferta por acção Acções da Brisa
Ver comentários