Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Estados podem dar vales de apoio às famílias para 'combaterem' elevados preços da energia

Vouchers ou pagamento de parte da fatura aos consumidores são solução para já.
Raquel Oliveira 14 de Outubro de 2021 às 08:54
Aumento dos preços da energia “é uma séria preocupação para a União Europeia”, diz a comissária do setor, Kadri Simson.
Aumento dos preços da energia “é uma séria preocupação para a União Europeia”, diz a comissária do setor, Kadri Simson. FOTO: Jean-Francois Badias/EPA
Bruxelas deu na quarta-feira liberdade aos Estados-Membros para avançarem com medidas de curto prazo de apoio às famílias e às empresas para fazerem frente aos elevados preços da energia. Entre as medidas sugeridas, conta-se a distribuição de vouchers ou o pagamento de parte das faturas das famílias vulneráveis.

“O aumento dos preços globais da energia é uma séria preocupação para a União Europeia”, afirmou na quarta-feira a comissária de Energia Kadri Simson, que antecipa que os elevados preços da energia se mantenham durante o inverno.

Nesse sentido, sublinhou a comissária, “deve ser dada prioridade a medidas específicas que possam mitigar rapidamente o impacto dos aumentos de preços para consumidores vulneráveis e pequenas empresas”. Relativamente às empresas do setor energético, Bruxelas propõe que os Estados-Membros investiguem “possíveis comportamentos anticoncorrenciais no mercado de energia” e solicitem à Autoridade Europeia dos Valores Mobiliários e dos Mercados “que melhore o acompanhamento dos desenvolvimentos no mercado do carbono”.

O preços da eletricidade e do gás natural têm estado a atingir valores recordes.

Renováveis
A médio prazo devem aumentar os investimentos em energias renováveis e acelerar os leilões de renováveis e os processos de licenciamento.

Gás natural
A Comissão Europeia sugere ainda que os Estados analisem a possibilidade de comprarem em conjunto gás natural, à semelhança das vacinas.

Fecho
Algumas das maiores consumidoras de eletricidade espanholas - como a Sidenor - estão a parar, queixando-se dos elevados preços da energia.
Bruxelas Estados-Membros Estados economia negócios e finanças energia economia (geral)
Ver comentários