Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

EUA e China assinam acordo comercial

Os EUA e a China assinaram esta terça-feira um acordo sobre o comércio têxtil válido por três anos, de 1 de Janeiro de 2006 até ao final de 2008. O acordo entre as partes, anunciado durante uma conferência de Imprensa conjunta em Londres, foi o culminar de sete rondas de negociações sobre esta matéria realizadas entre representantes de Washington e de Pequim.
8 de Novembro de 2005 às 12:18
O representante dos EUA, Rob Portman (à esquerda), e o ministro do Comércio da China, Bo Xilai
O representante dos EUA, Rob Portman (à esquerda), e o ministro do Comércio da China, Bo Xilai FOTO: d.r.
O acordo, que engloba mais de 30 tipos de produtos, entre os quais meias, calças, 't-shirts' e soutiens, prevê que a China imponha restrições às exportações de 21 categorias de produtos de algodão (11 de vestuário e 10 de têxteis) para os EUA.
O representante das transacções comerciais norte-americanas, Rob Portman, e o ministro do Comércio da China, Bo Xilai, consideram que se trata de um acordo rentável para ambos os países.
Recorde-se que as exportações de artigos de vestuário e têxteis chineses para os EUA aumentaram mais de 50 por cento nos primeiros oito meses de 2005, para 17,7 mil milhões de dólares (cerca de 14,8 mil milhões de euros), desde o fim do sistema global de quotas a 1 de Janeiro último.
Este rápido aumento das exportações levou os produtores norte-americanos, a exemplo do que aconteceu na Europa, a reclamarem medidas de protecção com vista a limitar as importações chinesas e, assim, evitar desequilíbrios de mercado ao abrigo das cláusulas de salvaguarda previstas pela Organização Mundial de Comércio (OMC).
O acordo conseguido pelos EUA e a China ocorre numa altura em que se intensificam os esforços para atingir um novo acordo de comércio global entre os 148 membros da OMC, cujos representantes vão estar reunidos em Hong Kong entre os dias 13 e 18 de Dezembro.
Ver comentários