Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Ex-gestores do BCP em tribunal

O empresário Joe Berardo vai levar a tribunal os ex-administradores do BCP que causaram um prejuízo na ordem dos 800 milhões de euros à instituição financeira com a compra de acções através de sociedades em paraísos fiscais.
8 de Março de 2008 às 00:30
A revelação foi feita ontem pelo ‘Jornal de Negócios’, segundo o qual Joe Berardo tem uma equipa de advogados a preparar a acção judicial contra esses antigos administradores do maior banco privado português. Pelas contas do maior accionista individual do BCP, do qual detém cerca de sete por cento do capital social, as perdas totalizam cerca de 800 milhões de euros e devem-se a “má gestão”. Por tal motivo, têm de ser responsabilizadas as pessoas que “lesaram os accionistas”.
Nas declarações ao mencionado jornal, Berardo lembrou que 800 milhões de euros são mais que o valor criado pelo BCP anualmente.
A actual equipa de administração executiva da instituição financeira, presidida por Carlos dos Santos Ferreira, contabilizou em 677 milhões de euros os prejuízos resultantes da compra de acções próprias mediante empresas com sede em paraísos fiscais.
As referidas operações estão a ser investigadas pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, que já identificou as pessoas ligadas às sociedades em paraísos fiscais utilizadas para a compra de acções do BCP.
APONTAMENTOS
AUMENTO DE CAPITAL
O BCP, até Maio próximo, aumenta o capital em 1,3 mil milhões de euros. Joe Berardo está disposto a comprar mais acções da instituição financeira mas quer ter mais direitos de voto.
CAPITALIZAÇÃO
O valor de mercado do BCP é de 6,5 mil milhões de euros. Em Junho de 2007, com Paulo Teixeira Pinto, o banco estava com a capitalização bolsista de 15,5 mil milhões de euros.
ACÇÕES
Os títulos do BCP, que fecharam ontem a 1,80 euros, perdem 38 por cento neste ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)