Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Falta dinheiro para a reforma

Mais de 40 por cento dos portugueses ainda não começou a preparar a reforma nem tem planos para isso. Entre as razões invocadas, contam-se a de falta de dinheiro e a juventude.
15 de Fevereiro de 2007 às 00:00
Falta dinheiro para a reforma
Falta dinheiro para a reforma FOTO: d.r.
Segundo um estudo da Fidelity Internacional, divulgado ontem, os portugueses são dos mais atrasados da Europa na preparação para a reforma.
Apenas 25 por cento dos inquiridos afirmou ter começado já a preparar a sua reforma, contra 44 por cento que não o fez nem planeia fazê-lo.
No entanto, cerca de 70 por cento manifesta-se preocupado com o futuro das suas reformas e 41 em cada 100 admite continuar a trabalhar mesmo depois de se reformar.
Uma das razões avançadas pelos inquiridos neste estudo, que envolveu mais oito países europeus, prende-se com a falta de dinheiro. Um facto para o qual já apontava um estudo semelhante, também encomendado pela Fidelity, ao concluir que os portugueses que ainda não tinham começado a preparar a sua reforma não dispunham de 100 euros para pôr de lado mensalmente.
Outra das razões apontada é a juventude, uma ideia desmistificada pela empresa de investimentos, que sublinha “que o tempo é uma vantagem” na preparação da reforma.
Por outro lado, cerca de 60 por cento não tem ou tem pouca informação acerca de como poderá preparar a sua reforma, isto é, quais os instrumentos financeiros a que poderá recorrer.
O imobiliário, uma reserva de investimento tradicional para quem prepara a reforma, é também vista pela maioria dos portugueses como um meio de o fazer. A preferência dos portugueses vai assim para investimentos de baixo retorno e pouco risco.
SEM RISCO
A maioria dos portugueses prefere um produto financeiro de reforma que garanta um retorno baixo mas com pouco risco financeiro. Apenas 14 por cento quer correr riscos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)