Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Fisco ‘à paisana’ na Exponoivos

Equipas de fiscalização da Direcção Distrital de Finanças de Lisboa visitaram a Exponoivos, exposição de produtos e serviços relacionados com o casamento que hoje encerra nas instalações da Feira Internacional de Lisboa (FIL), apurou o Correio da Manhã. Os inspectores do Fisco actuaram sem identificação com o objectivo de recolher elementos relacionados com o negócio dos casamentos.
11 de Janeiro de 2009 às 00:30
A visita das Finanças na feira tem por objectivo recolher elementos sobre as empresas que se dedicam à organização de casamentos
A visita das Finanças na feira tem por objectivo recolher elementos sobre as empresas que se dedicam à organização de casamentos FOTO: Mariline Alves

A primeira informação recolhida prende-se com o número de empresas presentes, bem como com a sua identificação fiscal.

Seguidamente os funcionários dos impostos procuram saber as agendas das empresas que se dedicam à organização de copos--d’água. Fazendo-se passar por noivos interessados em marcar uma boda, os inspectores conseguem ter uma ideia do número de eventos que determinada empresa tem agendado.

Outra informação relevante é a recolha dos preçários praticados pelos restaurantes e empresas de catering.

Tal como se encontra definido no Plano Nacional de Actividades da Inspecção Tributária para 2008 (PNA IT), as empresas de restauração, organização de eventos e actividades relacionadas são um dos sectores prioritários ao nível da inspecção por parte das Finanças. "Neste sector encontra-se um grande número de operadores económicos, alguns já de dimensão considerável, mas assentes em estruturas societárias de raiz familiar, tendo como destinatários consumidores finais em que o risco de evasão é significativamente maior", pode ler-se no PNA IT.

"Os operadores neste sector de actividade já comunicam todas a s marcações que têm. O que se está a detectar é que não contabilizam todos os convidados. Assim, por exemplo, se um copo-d’água tem 200 convidados, o preço é acertado e o contrato é celebrado, mas tendo por base apenas 100 ou 120 pessoas", afirmou ao CM um inspector do Fisco.

PORMENORES

EXCESSOS

Em Março de 2008, o Governo reconheceu a existência de "excessos" por parte do Fisco no pedido de informações sobre casamentos.

VISEU PIONEIRO

Foram os funcionários da Inspecção de Viseu os primeiros a fiscalizar os negócios que giram em torno dos casamentos.

ACOMPANHAMENTO

As empresas com desvios significativos de facturação são objecto de acompanhamento permanente.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)