Fisco exige 35 milhões de impostos em atraso

Carros e casas que deveriam estar em nome do Novo Banco são cobradas ao BES mau.
Fisco exige 35 milhões de impostos em atraso
O BES mau já tem identificados cerca de 20 mil credores que enviaram reclamações para tentarem recuperar o seu património Foto João Carlos Santos
São mais de 35 milhões de euros de impostos por pagar que o Fisco exige ao BES mau. Esta primeira estimativa congrega um conjunto de correções à matéria coletável realizadas até 2014 em sede de IRS, IRC e até de IMI sobre imóveis que já deveriam estar registados em nome do Novo Banco, mas continuam como sendo propriedade do BES. Há, inclusive, impostos sobre a frota automóvel que também já deveria estar registada em nome do Novo Banco, mas que, para a Autoridade Tributária (AT) têm apenas um número fiscal de contribuinte conhecido – o do Banco Espírito Santo.

O Fisco, a par do Fundo de Resolução, do Estado e de vários fundos de investimento ocupa o grupo dos dez maiores credores da instituição financeira que era liderada por Ricardo Salgado.

Entretanto, e apesar do Banco Central Europeu (BCE) ter retirado a licença bancária ao BES no passado mês de julho, entrando o banco em processo de liquidação, os credores do banco podem continuar a apresentar as suas reclamações junto da comissão liquidatária.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!