Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Fisco foi à ExpoNoivos

A ExpoNoivos – Feira de Serviços e Preparativos para o Casamento – recebeu uma visita de inspectores do Fisco. Segundo uma fonte próxima da Ecorex, empresa que organiza o certame, “houve fiscalizações, tal como tem acontecido noutras feiras”.
10 de Janeiro de 2006 às 00:00
Esta não foi a primeira vez que os inspectores do Fisco desencadearam operações em feiras ou recintos de exposições. A fiscalização foi feita para apurar o volume de negócios das empresas, se existe ou não a cobrança de IVA, se existem facturas, entre outros.
Tal como referiu a fonte da Ecorex, “vários ‘stands’ tiveram a visita de fiscais das Finanças. Mas não podemos dar mais informações. Apenas podemos confirmar a presença desses fiscais”.
MAIS FISCALIZAÇÕES
No entanto, esta actuação não foi inédita nas instalações da Feira Internacional de Lisboa (FIL), onde os elementos da Inspecção já estiveram várias vezes. Uma dessas actuações foi à Nauticampo – Salão Internacional de Navegação de Recreio, Campismo, Caravanismo, Desporto e Piscinas – onde a investigação foi feita por 40 inspectores das Finanças que fiscalizaram vários expositores, procurando recolher informação relacionada com as vendas e as encomendas realizadas ao nível das embarcações de recreio, caravanas, artigos desportivos, entre outros.
Esta acção visou fiscalizar como estava a decorrer a liquidação do IVA por parte das empresas portuguesas e estrangeiras.
Para além desta questão do IVA (que levou os inspectores a deixar junto dos expositores estrangeiros um prospecto explicando os trâmites legais para liquidação do IVA) foi igualmente recolhida informação sobre a venda de barcos, para futuras fiscalizações relacionadas com os sinais exteriores de riqueza.
Outra fiscalização foi na InterCasa – Salão Internacional do Mobiliário, Decoração e Iluminação e, também, no ano passado, na ExpoNoivos.
No último fim-de-semana foram vários os fiscais que recolheram dados sobre o negócio dos casamentos, fazendo-se passar por clientes normais.
Nestes espaços abertos é possível recolher informação através da recolha de brochuras ou cartões de apresentação, que servirão mais tarde para contactar as empresas em casos de inspecções mais rigorosas. A recolha destas informações é feita de uma forma discreta, procurando, apenas, se existe alguma irregularidade por parte das empresas representadas nas exposições.
TOMADA DE POSSE
Luís Pinto, tomou ontem posse da Direcção-Geral de Informática e Apoio aos Serviços Tributários e Aduaneiros (DGITA). Luís Pinto garantiu colocar as tecnologias informáticas ao serviço da informação na Administração Pública e de produzir informação estruturada capaz de ajudar no combate à fraude e evasões fiscais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)