Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

FMI e Banco Mundial defendem perdão imediato da dívida dos países mais pobres

Objetivo é ajudar os países com necessidades imediatas de liquidez a lidarem com os desafios colocados pela pandemia do coronavírus.
Lusa 25 de Março de 2020 às 15:45
Banco Mundial
Banco Mundial FOTO: Getty Images
O Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Mundial (BM) defenderam esta quarta-feira, com efeito imediato, um perdão da dívida oficial bilateral dos países mais pobres, entre os quais estão Guiné-Bissau, Moçambique, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

"Com efeito imediato, e consistente com as leis nacionais dos países credores, o Grupo BM e o FMI apelam a todos os credores oficiais bilaterais que suspendam os pagamentos de dívida dos países [abrangidos pela] Associação para o Desenvolvimento Internacional (IDA, na sigla em inglês) que assim o solicitem", lê-se num comunicado conjunto difundido hoje em Washington pelas duas instituições financeiras internacionais.

"Isto vai ajudar os países da IDA com necessidades imediatas de liquidez a lidarem com os desafios colocados pela pandemia do novo coronavírus e dar tempo para uma análise do impacto da crise e sobre as necessidades de financiamento para cada país", lê-se ainda no texto.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)