Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

“Fogem para Espanha mil milhões em IVA”

Virgílio Constantino, Presidente da ANAREC sobre o preço dos combustíveis em Portugal
16 de Abril de 2010 às 00:30
“Fogem para Espanha mil milhões em IVA”
“Fogem para Espanha mil milhões em IVA”

Correio da Manhã –Como vê as palavras do ministro Vieira da Silva, que admitiu que os preços dos combustíveis são elevados?

Virgílio Constantino – Vemos com surpresa o facto de o sr. ministro não se ter apercebido até agora que os combustíveis têm este preço por causa da excessiva carga fiscal. A ANAREC tem vindo, desde 2006, a chamar a atenção para o efeito da excessiva carga fiscal que incide sobre os combustíveis junto dos responsáveis políticos.

– E é apenas este factor ou há cartelização?

– A Autoridade da Concorrência já concluiu que não há cartelização por parte das petrolíferas. O problema situa-se do lado do Governo e do ponto de vista da tributação. A 5 de Abril, a gasolina tinha um imposto agregado – IVA ISP (imposto sobre produtos petrolíferos) – de 81 cêntimos, quando o preço por litro estava nos 1,39 euros. Vê--se por aqui o peso da carga fiscal.

– Mas num cenário de crise justifica-se baixar o ISP?

– Acho que sim. Evitávamos a fuga de abastecimento para Espanha. E as pessoas quando vão a Espanha não vão apenas abastecer, vão também comprar calçado, roupa e alimentos. Não estamos a falar de um imposto único que fica retido no país vizinho.

– Qual é o valor da fuga de IVA em combustível para Espanha?

– Estimamos que esteja num valor próximo dos mil milhões.

– Já disse que acha estranho que as petrolíferas só baixem os preços ao fim-de-semana. Qual é a razão para justificar isto?

– As petrolíferas têm a sua política comercial e privilegiam o consumo ao fim-de-semana. Gostávamos era que esse desconto se prolongasse aos dias da semana.

– Poderá ter a ver com o facto de os hipermercados captarem mais clientes ao fim-de-semana e venderem mais barato?

– Não tenho dúvidas de que terá a ver com a concorrência dos hipermercados.

Ver comentários