Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Franceses, brasileiros e irlandeses salvam hotelaria

Os franceses, brasileiros e irlandeses dormiram mais em hotéis portugueses em novembro do ano passado, do que no mesmo mês de 2011, sendo os principais responsáveis pelo aumento de 7% registado nas dormidas da hotelaria, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).
14 de Janeiro de 2013 às 11:45
Só no mês de novembro, a hotelaria nacional alojou 785,5 mil hóspedes
Só no mês de novembro, a hotelaria nacional alojou 785,5 mil hóspedes FOTO: Pixland

Ao contrário dos não residentes, os portugueses recorreram menos à hotelaria, registando um quebra de 2,7% face a novembro de 2011, segundo os números divulgados pelo INE.

Ao todo, os hotéis registaram dois milhões de dormidas, mais 7% que em novembro de 2011, ascendendo a 23,1% o aumento das dormidas com origem nos mercados francês, irlandês e brasileiro.

O grupo dos principais mercados emissores, que inclui estes três países junto com a Alemanha, Países Baixos e o Reino Unido, representou 71,2% das dormidas de não residentes naquele mês.

Lisboa liderou no crescimento dos resultados das dormidas, com um aumento de 14,2%, seguindo-se o Norte (+10,4%), o Algarve (+9,2%) e a Madeira (+8,8%), sendo que a evolução positiva da Madeira acontece após um período de oito meses consecutivos de resultados homólogos negativos.

As restantes regiões registaram reduções no número de dormidas, mais acentuadamente nos Açores onde caíram 18,7%.

Os dados do INE revelam também um aumento dos proveitos do setor que subiram 1,6% e os de aposento cresceram 3,5%.

No período de janeiro a novembro 2012, os estabelecimentos hoteleiros registaram 13,2 milhões de hóspedes e 38,1 milhões de dormidas, o que traduz uma queda de 0,8% para os hóspedes e um aumento de 0,8% para as dormidas.

Só no mês de novembro, a hotelaria alojou 785,5 mil hóspedes, mais 6,2% que no mês homólogo de 2012.

Hotéis Dormidas Turistas Turismo
Ver comentários