Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Fraude de 1,5 mil milhões

Cometer uma fraude de 1,5 mil milhões de euros num dos maiores bancos do Mundo poderia parecer uma missão impossível. Mas foi exactamente o que Kewku Adoboli, um ganês de 31 anos, fez sozinho no UBS.
17 de Setembro de 2011 às 00:30
Kweku Adoboli, de 31 anos, está acusado de fraude
Kweku Adoboli, de 31 anos, está acusado de fraude FOTO: direitos reservados

O corrector licenciado em ciências informáticas entrou para o maior banco suíço em 2006 e trabalhava em Londres na chamada divisão Delta 1, uma das secções mais importantes na corretagem. Agindo, ao que se sabe, sozinho e sem informar os responsáveis, Kweku fez uma aposta na valorização do franco suíço, numa altura em que a crise na Zona Euro pressionava a moeda única. A aposta teria passado despercebida não tivesse sido feita uma transacção elevada nesta expectativa no dia em que o banco central da Suíça tomou medidas para travar a valorização do franco. "Preciso de um milagre", terão sido as últimas palavras do ganês na rede social Facebook. As operações foram feitas sem autorização e sobre o corretor, já detido pelas autoridades, recaem agora acusações de fraude. O buraco para o banco é de 1,5 mil milhões de euros. A notícia aumenta os receios de que os bancos de investimento não são capazes de controlar "os riscos que seus funcionários assumem".

UBS SUÍÇA FRANCO FINANÇAS BANCO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)