Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
7

FRAUDES DE 6,4 MILHÕES NA ADSE

Foram detectadas fraudes na ADSE – Direcção Geral de Protecção Social aos Funcionários e Agentes da Administração Pública, que ascendem a 6,4 milhões de euros. Inspecções levadas a cabo pelo departamento de auditoria daquele organismo, já deram origem a oito processos, apresentados ao Ministério Público para investigações.
5 de Fevereiro de 2003 às 13:07
De acordo com a edição de hoje do “Diário Económico”, as fraudes vão de actos médicos não realizados a “conluios entre clínicas privadas e os próprios doentes” e muitas foram detectadas através da conferência selectiva da facturação das entidades convencionadas, que só em radiologia permitiram uma correcção de 250 mil euros, em 2001. Nas análises clínicas, a ADSE conseguiu igualmente uma correcção significativa da facturação.

As inspecções deram origem à denúncia e à rescisão, pela direcção-geral da ADSE, de 137 acordos com entidades convencionadas, em 2002.

Em Abril de 2001, Manuela Arcanjo lançou um plano de auditorias na área das empresas convencionadas em conjunto com a Inspecção-Geral das Finanças, em consequência de dois relatórios da Inspecção-Geral de Saúde que assinalavam vários tipos de irregularidades. Ainda não se conhecem os resultados desse plano.

Bruno Henriques, secretário-geral da Federação Nacional dos Prestadores de Cuidados de Saúde (FNS), que integra um milhar de entidades do sector, afirmou ao “Diário Económico” não ter conhecimento oficial de nenhuma fraude que envolva qualquer associado da FNS.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)