Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

FUNCIONÁRIA DA CLARKS RECEBE 23.500 EUROS

Três anos depois de ter sido despedida, quando se encontrava grávida de quatro meses, Susana Martins foi readmitida na Clarks, em Castelo de Paiva, por ordem do Tribunal da Relação do Porto.
10 de Abril de 2003 às 00:00
O despedimento de Susana foi “ilegal”, segundo o Tribunal
O despedimento de Susana foi “ilegal”, segundo o Tribunal FOTO: Carla Pacheco
A funcionária devia apresentar-se hoje ao serviço, mas a multinacional já fez saber que vai rescindir o vínculo e pagar a indemnização, tal como fez com os restantes 500 trabalhadores despedidos.
Apesar de lenta, a Justiça funcionou neste caso, considerando o despedimento de Susana ilegal e ordenando a sua imediata readmissão, com pagamento de todas as remunerações em atraso. Na altura, em Maio de 1999, Susana estava de baixa médica e foi despedida porque a empresa alegou que a funcionária não a estava a cumprir.
“Foram muito duros estes três anos sem salário, com uma filha para criar, só com o ordenado do marido. Por isso, agora fez-se justiça”, refere.
Susana, que passou seis anos na Clarks, vai receber 23 500 euros, já com indemnização. “É pouco, mas é o de direito. Fico satisfeita por tudo ter terminado”, aponta.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)