Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
3

Gomes responsável pela exploração

A reunião do Conselho de Administração da Galpenergia para eleição da Comissão Executiva e distribuição de pelouros foi pacífica. Todas as decisões foram aprovadas por unanimidade, não se concretizando alguns receios de que o accionista italiano (ENI) pudesse opor-se à designação de alguns nomes que estavam em cima da mesa.
31 de Maio de 2005 às 00:00
Fernando Gomes responsável pela extracção de petróleo
Fernando Gomes responsável pela extracção de petróleo FOTO: Tiago Sousa Dias
Fernando Gomes foi nomeado administrador executivo com os pelouros da GalpPower, empresa responsável pelos projectos das centrais de co-geração, e da Galp Exploração, empresa que gere a actividade de extracção de petróleo bruto e que gere as concessões de poços em Angola e no Brasil. Foi também atribuído ao ex-autarca do Porto a empresa Sóturis que gere todo o património imobiliário da Galp. Curiosamente, alguns dos pelouros que Fernando Gomes vai agora gerir eram da responsabilidade de Guido Albuquerque, primo do ex--ministro Morais Sarmento, durante a presidência de Ferreira do Amaral.
Tal como afirmou ao Correio da Manhã, Fernando Gomes deverá agora deixar o Parlamento para se dedicar, em exclusivo, à gestão da maior petrolífera portuguesa.
Para além das benesses inerentes ao cargo de administrador-executivo (cartão de crédito, carro com motorista e prémios de resultados), Fernando Gomes deverá auferir um salário na ordem dos 15 mil euros por mês.
O Conselho de Administração da Galp Energia nomeou ainda José António Marques Gonçalves para presidente da comissão executiva da petrolífera (CEO). Marques Gonçalves, ex-presidente da Opel Portugal que era actualmente director-geral da fábrica da General Motors em Inglaterra, além da presidência-executiva da Galp Energia, ficará directamente com o pelouro do Aprovisionamento, Refinação e Logística.
O número dois da empresa (CFO) será o italiano Giancarlo Rossi, nomeado pela ENI e que foi reconduzido naquele cargo. Será ele o responsável pelas Finanças da Galp.
Rui Cartaxo, um quadro da empresa, transitou da anterior Comissão Executiva e ficará com a responsabilidadde da Galp Gás. Palmeiro Ribeiro ficará com a Galp Empresas e o italiano Camillo Gloria (em representação da ENI) vai manter o pelouro da Transgás. João Pedro Brito fica responsável pelo importante sector da Galp Retalho, acumulando com os Açores e a Madeira.
CONVERGÊNCIA DE INTERESSES
Os receios iniciais de um bloqueio italiano na distribuição de pelouros cedo ficaram afastados. Os principais accionistas estrangeiros da Galp Energia (com mais de 33 por cento do capital) votaram ao lado do Estado português todas as nomeações. “Assistiu-se a uma convergência de interesses entre a administração da empresa e o accionista Estado”, afirmou ao CM uma fonte da petrolífera, acrescentando que “estamos em presença de uma maior concertação entre o Estado e a administração. Coisa que nem sempre aconteceu na presidência de Ferreira do Amaral e de António Mexia”.
Até Outubro, o destino do accionista ENI terá de ficar decidido.
NOTAS
MURTEIRA NABO
O ex-presidente da Portugal Telecom foi confirmado como ‘chairmam’ da Galp Energia. Aquele responsável irá fazer a ponte entre o Estado e os accionistas privados da companhia.
LUÍS NAZARÉ
O economista Luís Nazaré será nomeado como novo presidente dos CTT na assembleia geral da empresa, que terá lugar hoje. O ex-presidente da Anacom - Autoridade Nacional das Comunicações – e actual membro do Conselho Consultivo da Portugal Telecom (PT) irá substituir Carlos Horta e Costa, cujo mandato terminou em Dezembro. O vice-presidente da empresa será Pedro Coelho, que é membro do Conselho de Administração da PT.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)