Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Governo espera para avaliar "alternativas" à greve dos estivadores

O Governo vai esperar até quarta-feira, véspera de um novo período de greve dos estivadores, por um acordo que diminua o impacto da paralisação para a economia, adiando assim o estudo de "alternativas".
13 de Novembro de 2012 às 19:46
Sérgio Silva Monteiro, secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações
Sérgio Silva Monteiro, secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações FOTO: Bruno Simão/Jornal de Negócios

"O dia de hoje não nos trouxe a notícia de um acordo entre os operadores e os sindicatos, mas ainda não esgotámos a via negocial. E é nessa via que apostamos para encontrar uma solução que minimize o impacto deste pré-aviso de greve para 15 a 27 Novembro", afirmou o secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, à margem do encontro "Transportes, Competitividade e Futuro", a decorrer em Lisboa.

Em declarações aos jornalistas, o governante afirmou que o objectivo é que "houvesse acordo" antes do início da greve, que começa na próxima quinta-feira, admitindo que então a situação será avaliada.

"A greve começa dia 15 e gostávamos que houvesse acordo antes disso, ou seja até 14. Se assim não for, teremos que verificar todas as alternativas no âmbito legal de forma que o impacto para a economia seja minimizado", declarou.

Questionado sobre a possibilidade do Governo recorrer à requisição, Sérgio Monteiro afirmou que "não está nem fora nem dentro de questão".

"O Governo segue de perto todas as negociações que existem", garantiu.

Sobre a subida de tom dos protestos dos estivadores, o governante considerou que é importante não confundir "a posição de facções mais bélicas com os trabalhadores portuários que são um activo muito importante para o país".

Sérgio Monteiro questionou "o que de tão grave tem a proposta de lei que mereceu a adesão de mais de 60% dos trabalhadores. A proposta não pode ser tão desequilibrada como podem fazer crer".

Os estivadores apresentaram um novo pré-aviso de greve que estenderá as paralisações de 15 a 27 de Novembro, que irão afectar os portos de Lisboa, Setúbal, Aveiro e Figueira da Foz, disse o presidente do Sindicato dos Estivadores, Trabalhadores do Tráfego e Conferentes Marítimos do Centro e Sul de Portugal, Vítor Dias.

greve estivadores governo paralisação
Ver comentários