Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

Governo insiste que aumento da massa salarial é de 5,1%

Ministra da Presidência diz que nunca negou perda de poder de compra de funcionários.
Andresa Pereira 5 de Novembro de 2022 às 10:12
Mariana Vieira da Silva revelou no Parlamento que há, neste momento, 21 mil funcionários públicos em teletrabalho
Mariana Vieira da Silva revelou no Parlamento que há, neste momento, 21 mil funcionários públicos em teletrabalho FOTO: MIGUEL A. LOPES/Lusa
A ministra da Presidência respondeu esta sexta-feira aos deputados que nunca negou a perda de poder de compra dos trabalhadores da Função Pública, mas sublinhou que o aumento da massa salarial é de 5,1% por os salários não evoluírem apenas com a atualização salarial anual.

“Nenhum sindicato ouviu a negação da evidência de que este ano não conseguiremos acompanhar a evolução da inflação”, disse Mariana Vieira da Silva, deixando depois um alerta. “Os salários não evoluem apenas com a atualização salarial anual. Crescem mais de 3,6% em média mas evoluem por outras dimensões até mais relevantes e que durante muitos anos estiveram congeladas e que permitiram um aumento salarial muito superior às atualizações que foram feitas. O aumento da massa salarial é de 5,1%”, explicou.

A governante, que foi ouvida no Parlamento, no âmbito do Orçamento do Estado de 2023, revelou ainda que há, neste momento, 21 mil trabalhadores da Função Pública em teletrabalho. Mariana Vieira da Silva disse não ter, no entanto, dados sobre o pagamento de despesas associadas ao teletrabalho, indicando que a Direção-Geral da Administração e do Emprego Público “não tem de ser informada”.

A ministra aproveitou ainda para fazer mais revelações, desta vez quanto ao processo de mudança de alguns ministérios para o edifício-sede da Caixa Geral de Depósitos (CGD). Vai arrancar no primeiro trimestre de 2023 e será gradual ao longo da legislatura.
Ver comentários
C-Studio