Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Governo licencia nove centrais

O director-geral de Energia, Miguel Barreto, divulgou ontem na apresentação pública da maior central fotovoltaica do Mundo, que será construída até Janeiro de 2007 em Brinches, Serpa, que o Ministério da Economia e Inovação aprovou um conjunto de projectos para aproveitamento da energia solar de Norte a Sul do País com uma capacidade de produção de cerca de 120 megawatts (MW), o suficiente para abastecer uma cidade com 100 mil habitantes. O Governo traçou como objectivo 150 MW até 2010.
7 de Junho de 2006 às 00:00
Após a colocação da pedra que simboliza o arranque das obras da central de Serpa – a primeira a ser construída em Portugal e com uma capacidade instalada de 11 MW – Miguel Barreto acrescentou que as outras grandes unidades de aproveitamento da energia solar ficarão situadas em Moura (62 MW) e Ourique (2 MW), ambas no distrito de Beja, Freixo de Espada à Cinta (2,4 MW), em Bragança, Albufeira (10 MW), no Algarve, e no Mercado Abastecedor de Lisboa (6 MW). Prevista está também a construção de três centrais de energia solar termoeléctrica em Tavira (6 MW), Cercal do Alentejo (2 MW) e Leira (1 MW).
“Existem outros projectos de menor dimensão que fazem o total de 120 MW. Portugal assumiu o objectivo de 150 MW, um número significativo atendendo à Espanha e França, cuja produção é de 400 e 500 MW, respectivamente”, frisou Miguel Barreto.
Este responsável disse ainda que o lançamento da maior central solar do Mundo, um projecto financiado em 62 milhões de euros pela GE – Energy Financial Services, “constitui um importante passo para o desenvolvimento da energia solar e para o cumprimento da estratégia nacional”.
Mário Armero, presidente da GE em Portugal e Espanha, sublinhou que depois do projecto da central de Serpa poderão surgir novos investimentos em energias renováveis no País e garantiu que a política energética em Portugal está “claramente à frente” da vizinha Espanha. “Muitos países falam de energias renováveis, mas pouco legislam”, salientou.
ALENTEJO
SERPA
Financiada pela GE, a maior central solar do mundo - a segunda está instalada na Alemanha (5 MW) -, será concebida pela empresa americana PowerLight e gerida pela portuguesa Catavento. Terá 52 mil módulos fotovoltaicos distribuídos por 32 hectares e produzirá durante 15 anos 20 mil MW/ano, o suficiente para abastecer oito mil lares. A central criará 5 postos de trabalho.
AMARELEJA
A central de Moura, que terá seis vezes a capacidade de produção da central de Serpa, está ainda na fase do estudo de viabilidade. O projecto prevê um custo de 250 milhões de euros, 114 hectares de painéis solares e a criação de 150 empregos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)