Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Grécia deixa cair referendo

A Grécia viveu ontem uma jornada de incertezas finda a qual o primeiro-ministro Georgios Papandreou aceitou abandonar a realização de um referendo ao resgate europeu e colocar o seu cargo à disposição após uma moção de confiança a realizar hoje.
4 de Novembro de 2011 às 01:00
Pressionado, Papandreou (à esq.) acabou por recuar
Pressionado, Papandreou (à esq.) acabou por recuar FOTO: Vassilis Filis/Epa

O fim do referendo aliviou os parceiros da União Europeia, especialmente Alemanha e França, que deixaram bem claro que não haveria mais apoio europeu até a Grécia definir se quer continuar na Zona Euro.

Ao início do dia, e apesar das pressões da UE, Papandreou insistia na consulta popular, mas acabou por ceder e mudou de rumo, aceitando deixar o poder, como exigia a oposição, que propôs a formação de um governo de unidade nacional e a realização de eleições antecipadas. O recuo de Papandreou teve impacto imediato nos mercados e animou os debates em Cannes, onde os vinte países mais industrializados do Mundo centram atenções na resolução da profunda crise europeia.

G20 DE OLHOS POSTOS NA GRÉCIA

A Grécia centrou as atenções no dia inaugural da cimeira do G20, em Cannes. Outros temas foram adiados e os debates centraram-se nas consequências de uma falência grega e da saída do euro. Os presidentes de França e EUA, Sarkozy e Obama, sublinharam a urgência de solucionar a crise europeia.

GRÉCIA REFERENDO AUSTERIDADE TROIKA PAPANDREOU CRISE UNIÃO EUROPEIA EURO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)