Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
4

Greve da Segurança Social fecha 24 balcões

A greve desta sexta-feira dos trabalhadores da Segurança Social encerrou 24 dos 344 serviços de atendimento a nível nacional embora a federação sindical que a convocou aponte para uma adesão global de 75 por cento.
2 de Julho de 2010 às 20:12

A Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (FNSFP) considerou que "a elevada adesão" que a greve registou mostra que "os trabalhadores do Instituto da Segurança Social (ISS) manifestaram o seu profundo descontentamento  pelas condições de trabalho a que estão sujeitos".         

Mas o ISS referiu uma adesão de 6,49 por cento, o que corresponde a 757 trabalhadores, de um total de 11.657.         

"A greve levou ao encerramento de 24 serviços de atendimento, de um  total de 344", disse à agência Lusa Nogueira de Lemos, vogal do conselho directivo do IPP, responsável pelos recursos humanos.

A FNSFP disse, numa nota de imprensa emitida ao final da tarde, que  a paralisação levou ao encerramento de serviços por todo o País, sobretudo de atendimento ao público, como os balcões da Alameda, Saldanha, Centro Nacional de Pensões, Areeiro, Almada, Barreiro e Matosinhos.         

"Os trabalhadores do ISS demonstraram inequivocamente a sua vontade  de lutar pelo reforço efetivo de trabalhadores e contra os elevados ritmos de trabalho que lhes são exigidos", diz o comunicado.              

A Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública (filiada na CGTP) convocou a paralisação em defesa do reforço do quadro de pessoal e da aplicação do horário de trabalho contínuo e do horário flexível a todos os trabalhadores que o desejem.         

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)