Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Herman é lapso do Fisco

O Ministério das Finanças afirmou ontem que se tratou de um lapso o facto de o nome de Herman José ter surgido para ilustrar um exemplo numa acção de formação para funcionários da Administração Fiscal.
28 de Fevereiro de 2006 às 00:00
“Normalmente, os exemplos utilizam apenas os números de contribuinte, neste caso o facto de ter aparecido o nome desse contribuinte foi um lapso”, justificou ao CM um porta-voz do Ministério das Finanças, sublinhando que “em todo o caso, os exemplos são fictícios”.
Para as Finanças, “mesmo que se tratasse de um caso real, estava a ser usado internamente, num contexto de sigilo fiscal ao qual todos os funcionários fiscais estão obrigados”.
Em causa está o facto de numa acção de formação se ter usado o nome e número de contribuinte de Herman José para ilustrar um exemplo de penhora de contas bancárias do Banco Espírito Santo (BES), no valor de mais de 126 mil euros devido a dívidas fiscais.
Herman José reagiu, também, afirmando que não tem dívidas ficais, não lhe foi instaurada qualquer penhora, nem tão pouco tem conta no BES.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)