Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
2

Interior e Algarve pagam mais caro

O preço do gás natural, no primeiro trimestre do corrente ano e no que respeita aos clientes domésticos, vai descer nos grandes centros urbanos e aumentar no Interior e Algarve, segundo anunciou ontem o Ministério da Economia.
17 de Janeiro de 2007 às 00:00
O gás natural vai ficar mais caro para o Interior
O gás natural vai ficar mais caro para o Interior FOTO: João Relvas / Lusa
De acordo com a homologação de tarifas, efectuada pelo secretário de Estado Adjunto da Indústria e da Inovação, o cliente tipo (com consumo de 270 m3 por ano) que viva no Litoral, com excepção do Algarve, terá uma diminuição de preços relativamente ao trimestre anterior entre 0,8% e 1,5%. Pelo contrário, quem reside na região algarvia e no Interior vai sofrer um aumento de 1% na factura. A diferença de preços relativamente ao Algarve e ao Interior poderá ser justificada pelos custos acrescidos de transporte do combustível e pelo baixo consumo registado nas referidas zonas.
O Governo assegura, no entanto, que em relação ao trimestre homólogo do ano passado se verifica uma diminuição de custo generalizada, entre 3,5% e 6%. Quanto aos clientes de pequenos serviços, como cafés, restaurantes e padarias, os preços baixam entre 1,5% e 1,7% em relação ao trimestre precedente e são entre 4,4% e 6% inferiores ao trimestre homólogo de 2006.
O presidente da Câmara de Castelo Branco foi apanhado de surpresa: “Mais uma vez o Interior é penalizado em relação ao Litoral. Joaquim Morão reconhece que o Interior apresenta menores índices de consumo e, em termos económicos, isso pode levar a esta situação, mas lamenta que não haja uma política coerente contra a desertificação. “Estas medidas só vão afastar ainda mais as pessoas e levar a que os empresários se sintam também penalizados”, diz.
Os empresários do Interior contactados pelo CM reagiram ao aumento com “estupefacção” e “incredulidade”. Preferiram até reconfirmar a informação antes de falarem assumidamente do assunto, pois “não acreditam que seja possível”.
No Interior, o Gás Natural constituiu um dos incentivos à fixação, sobretudo de empresas, pois podiam usufruir de uma energia mais limpa e a preços baixos.
No Algarve, o gás é transportado desde Sines em camiões para dois depósitos, em Olhão e Portimão. A rede de distribuição tem 90 quilómetros de extensão. O grosso dos clientes centra-se em Olhão – mais de três mil, incluindo domésticos, indústria (conserveira e do sal) e serviços. Em Portimão existem cerca de 900, incluindo importantes unidades hoteleiras, como as que pertencem ao grupo Pestana, em Alvor. No corrente ano a rede será estendida a Faro.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)