Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
9

LISBOA LÍDER NO DESEMPREGO

No segundo trimestre deste ano, Lisboa e Vale do Tejo tornou-se, pela primeira vez, na região com mais desemprego no País, destronando assim o Alentejo.
17 de Setembro de 2002 às 22:02
Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), nesse período estavam desempregadas 110.300 pessoas na região de Lisboa, correspondendo a uma taxa de desemprego de 6,2 por cento.

A taxa regional é claramente superior à média nacional, que se situa nos 4,5 por cento, diz o INE.

Nos primeiros três meses do ano, o desemprego situava-se nos 5,9 por cento, atingindo no segundo trimestre o valor mais alto dos últimos quatro anos. Verificou-se ainda uma perda do peso do emprego por conta de outrem, afectando de forma mais vincada os contratados sem termo, indiciando assim um aumento da precariedade.

Lisboa e Vale do Tejo conseguiu ultrapassar a região do Alentejo que, no segundo trimestre, registou um decréscimo de 1,2 pontos percentuais, face ao trimestre anterior, fixando-se nos 5,1 por cento.

À subida da taxa de desemprego para níveis históricos não é alheio o aumento do pessimismo na região de Lisboa durante os três meses, que se traduziu na deterioração do indicador de confiança dos consumidores.

Durante o segundo trimestre, o nível de confiança atingiu o valor mais baixo dos últimos anos, com os consumidores a apresentarem uma forte expectativa de aumento dos preços. De facto, a inflação homóloga da região aumentou 0,4 pontos percentuais face ao trimestre anterior, situando-se nos 3,2 por cento em Junho de 2002. Para o aumento dos preços contribuiu, sobretudo, o encarecimento dos transportes, hotéis, cafés e restaurantes, vestuário e calçado.

Por regiões

Norte

O número de empregados na região Norte, no segundo trimestre de 2002, aumentou ligeiramente, enquanto que o acréscimo do número de desempregados foi manifestamente superior. Em consequência, a taxa de desemprego subiu para 4,1 por cento.

Centro

Ao longo do segundo trimestre de 2002 e face aos três meses anteriores, registou-se uma diminuição da taxa de desemprego de três décimas de ponto percentual na região Centro, situando-se nos 2,8 por cento. No entanto, comparando com igual período de 2001, cresceu 0,5 pontos percentuais.

Algarve

A taxa de desemprego no Algarve registou, no segundo trimestre, 4,5 por cento, sendo inferior em seis décimas de ponto percentual à do trimestre anterior, mas superior em nove décimas à do trimestre homólogo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)