Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
6

“Lojas chinesas devem ser regulamentadas”

Francisco Carriço, Presidente da Associação Comercial de Beja, falou ao 'CM' sobre a proliferação de lojas orientais na cidade.
9 de Novembro de 2008 às 00:30
“Lojas chinesas devem ser regulamentadas”
“Lojas chinesas devem ser regulamentadas”

Correio da Manhã – Em Beja está a nascer uma Chinatown. Como é que a Associação Comercial de Beja (ACB) vê a proliferação de lojas orientais na cidade?

Francisco Carriço – Esta situação está a descaracterizar o comércio e as localidades. As lojas tradicionais e a restauração são uma marca de cada cidade. Em Beja, como noutras cidades portuguesas, estão a abrir um número extremamente invulgar de lojas chinesas e para que o comércio tradicional não fique em risco de fechar é necessária a criação de cotas de entrada no mercado.

– O comércio chinês devia ser controlado?

– Devia haver parâmetros que determinassem um número máximo de lojas chineses por cada localidade, respeitando o número de habitantes e o número de estabelecimentos tradicionais aí inseridos. As lojas chinesas devem ser regulamentadas a partir de uma legislação comercial, pois corremos o risco de passar por uma situação ridícula que é ter um número igual de lojas portuguesas e chinesas.

– Como é que os comerciantes portugueses podem alterar esta situação?

– A ACB já pediu uma reunião com o secretário de Estado do Comércio e Defesa do Consumidor, Fernando Serrasqueiro, para debater esta proliferação como também uma outra situação de injustiça social que queremos modificar e que passa pela atribuição de isenções fiscais a comércios situados em localidades com menos de mil habitantes.

– Quais as razões para o crescimento do comércio chinês em Portugal?

– Há uma desigualdade de critérios entre os comerciantes portugueses e chineses que reverte a favor deste últimos. A isenção fiscal, atribuída através do acordo assinado entre os dois países, coloca os comerciantes do País numa condição desfavorável.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)