Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia

Lucro da REN sobe 0,2% para 34,5 milhões

O lucro da REN atingiu os 34,5 milhões de euros no primeiro trimestre de 2012, um crescimento de 0,2 por cento em relação ao período homólogo do ano passado, anunciou esta segunda-feira a gestora das redes energéticas nacionais.
14 de Maio de 2012 às 18:10
REN, energia, lucro, resultados, acções
REN, energia, lucro, resultados, acções FOTO: Sérgio Lemos

A empresa liderada por Rui Cartaxo destacou uma melhoria significativa do EBITDA (resultados antes de impostos, juros, depreciações e amortizações), de 13,2 por cento, para 130,7 milhões de euros.

A melhoria do resultado operacional é resultado do crescimento da base de activos regulados e da subida da taxa ponderada de remuneração dos mesmos, explicou a empresa em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliário (CMVM).

Já o resultado financeiro registou um agravamento de 54,9 por cento nos primeiros três meses de 2012, face ao trimestre homólogo, sendo negativo em 32,2 milhões de euros, influenciado pelo aumento do valor da dívida e do custo médio de financiamento, que passou de 4,2 por cento para 5,6 por cento.

Nos primeiros três meses, o investimento da REN caiu 58 por cento face ao período homólogo, para 25 milhões de euros, sendo que grande parte do investimento foi realizado em infra-estruturas de electricidade.

No entanto, acrescentou, o valor das entradas em exploração atingiu os 7,8 milhões de euros, mais 6,2 milhões de euros que há um ano.


Em Fevereiro, foram celebrados os contratos de promessa de compra e venda relativos à segunda fase de privatização da REN, que prevêem que os chineses da State Grid e os árabes da Oman Oil Company comprem uma participação pública de 40 por cento da REN, por 592,21 milhões de euros.

A finalização do processo de venda acontecerá depois da promulgação do decreto-lei que aumenta os limites aos direitos de voto dos accionistas, que fixa em 25 por cento o limite para a titularidade individual, directa ou indirecta, do capital social da REN, que estava limitado a 10 por cento do capital.

Apesar de ainda não serem formalmente accionistas, a cooperação da State Grid com a REN iniciou-se já no primeiro trimestre, com a prestação de serviços de consultoria no Brasil, que envolveu quatro quadros da empresa portuguesa.

Já depois do final do trimestre, a REN assinou um acordo para comprar 7,5 por cento do capital social da empresa Hidroeléctrica de Cahora Bassa, em Moçambique, por 38,4 milhões de euros.

Os títulos da REN desvalorizaram 0,55 por cento na sessão de hoje para 1,99 euros.

REN energia lucro resultados acções
Ver comentários