Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
3

MANUEL ALVAREZ: MERCADO ACTUAL É BOM PARA AS IMOBILIÁRIAS

Manuel Alvarez, o Director Geral da Remax Portugal considera que vivemos numa boa altura para mudar de casa, porque existe um excesso de oferta e a tendência do mercado aponta para uma descida dos preços:
18 de Maio de 2003 às 00:03
As melhores oportunidades estão no mercado das casas em segunda mão, diz Manuel Alvarez
As melhores oportunidades estão no mercado das casas em segunda mão, diz Manuel Alvarez FOTO: Jorge Godinho
Correio da Manhã - O que é que mudará no imobiliário a descida da Sisa e a reforma da lei da tributação do património?
Manuel Alvarez - Em primeiro, ajudará à realização de mais transacções imobiliárias. Se uma prestação mensal baixa 10 ou 15 euros por mês por causa da Sisa, isto quer dizer que as pessoas que não conseguiam comprar antes, vão provavelmente consegui-lo com esta descida. Além de que criou mais segurança no mercado, deu movimento e mais alegria.
- O mercado vai voltar a evoluir?
- O boom imobiliário que tivemos há três/quatro anos não voltará porque nessa altura as condições eram outras: descida das taxas de juro, ajudas do governo, construção e necessidade clara de habitação. Agora entramos num mercado mais maduro de uma sociedade desenvolvida.
- Como vê o mercado de mediação imobiliária actualmente e no futuro?
- Em Portugal, há hoje uma enorme quantidade de mediadoras. A tendência será diminuição do número e a concentração em marcas. Quem não consegue vender no mercado actual são os particulares, os construtores. Têm mais dificuldades em arranjar compradores. Por isso, para conseguir concretizar a venda, recorrem às imobiliárias. Quando o mercado é de boom, qualquer particular vende. O mercado actual é bom para as imobiliárias, que trabalham bem e sabem como enfrentar o mercado em crise .
- Qual é o segmento que está melhor: as casas novas ou as em segunda mão?
- Existe um excesso de oferta e o comprador pode aproveitá-lo para negociar . As pessoas que querem vender as suas casas vão ter de descer os preços. Os construtores são empresas e têm capacidade para aguentar mais tempo. As melhores oportunidades conseguem-se nas casas em segunda mão. O momento é bom porque a tendência é de descida nos preços.
- Compare o mercado imobiliário português com o espanhol.
- Em geral, o mercado espanhol é mais barato porque os terrenos são mais baratos, as licenças menos pesadas e demora-se menos tempo a consegui-las. Em Espanha, a taxa de IVA sobre as transacções é mais pequena e os construtores espanhóis podem deduzir o IVA, pelo que não se incrementam os valores das propriedades. Em Portugal o terreno mais a construção custa 100, mas paga IVA o que dá mais 19. O construtor põe a sua margem sobre 119 e depois ainda paga Sisa. Uma casa em Espanha custaria 100 mais a margem do construtor. Aqui custa 119 mais a margem e mais a Sisa.
PERFIL
Manuel Alvarez Salamanca foi o empresário que trouxe a Remax para Portugal. Tem 39 anos, é casado e pai de duas filhas. Nasceu em Mérida e estudou Direito em Zarogoza. Seduzido pela gestão empresarial, tirou em 1989 um mestrado de economia em Madrid. Veio para Portugal há 10 anos com os supermercados Dia e Mini Preço. A vontade de ter um negócio próprio levou-o a procurar uma marca para instalar em Portugal, elegendo a Remax.
HÁBITOS DE VIDA
FÉRIAS
A empresa ocupa-lhe a maior parte do tempo, pelo que organiza ao máximo os momentos de lazer. “Tiro todas as férias que posso”, afirma. No Natal tira uns dias para esquiar, no Verão prefere o Algarve ou o sul de Espanha, sempre com gosto pela novidade. Aproveita os dias em família para dar mais atenção às filhas de sete e dois anos e faz muito desporto.
DESPORTO
O desporto é a grande paixão de Manuel Alvarez. O empresário só não pratica futebol porque ‘já não ter idade para as lesões’ que o futebol produz. Do ténis ao golfe, passando pela natação e a bicicleta, gosta de tudo e aproveita os fins-de-semana para se exercitar. O futebol é um desporto para assistir em casa. É adepto do Real Madrid e da selecção portuguesa.
LEITURA
A paixão pelo desporto deixa-lhe pouco tempo para a leitura. A profissão obriga-o a estar sempre informado sobre os mercados, pelo que a maioria dos livros que lê são publicações especializadas em gestão de empresas, economia e sobre o sector da mediação imobiliária. Na ficção, adora os livros policiais e de espionagem.
B. I. REMAX
A Remax foi fundada em 1973 no Colorado, EUA. Ao nível internacional, a empresa conta com 4479 lojas distribuídas por 42 países e com mais de 78 500 vendedores.
A marca entrou em Portugal há cerca de três anos e actualmente conta com 88 franchisados e 575 vendedores associados. Desde que chegou a Portugal já investiu 8 500 000 euros no sector e é líder no franchising imobiliário nacional. Este ano, a Remax Portugal recebeu o prémio de “Melhor País do Ano 2002” a nível de toda a organização. Para 2003, as apostas centrais da empresa são ao nível da formação de pessoal e do desenvolvimento do negócio para manter a liderança e consolidação da imagem da empresa no mercado nacional.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)