Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
8

Medidas nos EUA fazem subir bolsas europeias

As bolsas europeias abriram esta quarta-feira a valorizar fortemente, depois de a Reserva Federal norte-americana ter garantido que manterá a taxa de juro perto do zero até 2013 e avançará com novos estímulos à economia.
10 de Agosto de 2011 às 09:00
Bolsas a subir
Bolsas a subir FOTO: DR

De Lisboa a Moscovo, os investidores mostram estar mais confiantes, conseguindo fazer subir os índices das principais praças entre 1,7 e 2,8 por cento.

Na abertura das sessões, o FTSE-100 de Londres crescia 1,7 por cento, enquanto o CAC-40 de Paris subia 1,85 por cento e o RTS de Moscovo 1,91 por cento.

Acima dos 2 por cento ficou o PSI 20 de Lisboa, mas também o DAX de  Frankfurt (mais 2,09 por cento) e o FTSE MIB de Milão, que valorizava 2,80  por cento.

Depois de mais de oito sessões em queda acelerada na sequência do corte  do 'rating' da dívida dos Estados Unidos, as bolsas parecem estar a recuperar e os receios de nova recessão mundial começam a dissipar-se. Na terça-feira, a Reserva Federal norte-americana (Fed) anunciou que  vai manter a taxas de juro interbancária nos Estados Unidos no atual mínimo  histórico, próximo de zero por cento, prevendo manter estes níveis "excepcionalmente  baixos" até meados de 2013.

A manutenção das taxas de juro entre 0 por cento e 0,25 por cento, previsivelmente  até meados de 2013, é considerada necessária para "promover a retoma económica  em curso" e controlar a inflação. 

A Fed discutiu ainda o conjunto de "instrumentos políticos disponíveis  para promover uma retoma económica mais forte, num contexto de estabilidade  de preços" e "está preparada para usá-los, se apropriado", à luz da evolução dos indicadores económicos nos próximos meses.

bolsas reserva federal EUA crise
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)