Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
5

Merkel chama Sócrates

O primeiro-ministro José Sócrates tem um encontro agendado para dia 2 de Março com Angela Merkel, a convite da chanceler alemã. O encontro irá permitir preparar as cimeiras europeias, mas a agenda poderá incluir uma eventual ajuda a Portugal.
26 de Fevereiro de 2011 às 00:30
O primeiro-ministro e a chanceler alemã encontram-se a 2 de Março
O primeiro-ministro e a chanceler alemã encontram-se a 2 de Março FOTO: Olivier Hoslet/Epa

O encontro visa preparar os conselhos europeus previstos para o próximo mês (o extraordinário de 11 de Março e o de 24 e 25 de Março), de onde sairá a nova fórmula de funcionamento do Fundo Europeu de Estabilização Financeira ou de outro mecanismo que ajude os países em dificuldades com dívidas soberanas.

Entre as atribuições que o Governo português defende para o futuro mecanismo estão o aumento da capacidade financeira para os 500 mil milhões de euros e a possibilidade de intervir nos mercados primário e secundário de dívida, ou seja, a compra directa de dívida pública dos Estados quando é emitida e, depois, quando é negociada no mercado. Para além disso, defende também empréstimos directos aos Estados-membros.

Recorde-se que no passado dia 3 de Fevereiro Angela Merkel encontrou-se com José Luis Zapatero, mas nesse caso foi a chanceler que se deslocou ao país vizinho.

A Alemanha pretende a harmonização das políticas económica e fiscais e a inclusão dos limites do défice na constituição dos países europeus.

CAVACO CONSIDERA "INGLÓRIOS" ESFORÇOS PARA IMPOR BARREIRAS

Cavaco Silva referiu-se ontem à incerteza que marca a actualidade, considerando "inglórios" os esforços para impor barreiras aos efeitos do que ocorre em outros países e defendendo uma União Europeia aberta ao mundo. "É inevitável que a incerteza se afirme como marca de um tempo em que os acontecimentos se sucedem a um ritmo e a uma escala que transformam numa temeridade a maior parte dos exercícios de previsão", sustentou o Presidente da República na cerimónia de apresentação de cumprimentos do corpo diplomático, que decorreu no Palácio de Queluz. O Chefe de Estado defendeu a necessidade de uma União Europeia "forte e coesa", sustentando que "este mundo incerto e volátil" necessita de uma Europa como referencial de construção da paz e da prosperidade.

ESPANHA CORTA NA VELOCIDADE

Espanha decidiu ontem baixar o limite da velocidade máxima nas auto-estradas de 120 para 110 km/hora com o objectivo de poupar combustível. Um estudo do projecto ‘Eco Condução Portugal' mostra que uma condução que reduza as velocidades praticadas, evitando também travagens e arranques bruscos, permitiria poupar 800 milhões de euros em combustíveis e reduzir 1,7 mil milhões de toneladas de CO2 por ano.

ANGELA MERKEL CIMEIRA ESPANHA CAVACO SILVA
Ver comentários