Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Mexia corta almoço a reformados da EDP

A administração da EDP, empresa liderada pelo ex-ministro das Obras Públicas António Mexia, vai acabar, a partir de 1 de Setembro, com as refeições gratuitas aos funcionários da empresa em situação de antecipação à pré-reforma, pré-reforma ou reforma. Para travar esta medida, o Sindicato das Indústrias Eléctricas do Sul e Ilhas (SIESI) realiza amanhã uma acção de protesto frente à sede da EDP, em Lisboa. E Manuel Correia, presidente do SIESI, garante mesmo que esta decisão da empresa terá “graves problemas psicológicos nas pessoas”.
29 de Agosto de 2007 às 00:00
António Mexia
António Mexia FOTO: Natália Ferraz
A decisão da EDP foi comunicada num documento, com a data de 1 de Agosto, assinado por Eugénio Carvalho, director de recursos humanos: “Informamos que a partir de 1 de Setembro deixam de ser distribuídas senhas de refeição aos colaboradores que se encontram na situação de antecipação à pré-reforma, pré-reforma ou reforma.” E remata: “[estes colaboradores] continuam a poder utilizar os refeitórios a que anteriormente recorriam, assumindo o pagamento da respectiva refeição nas mesmas condições dos trabalhadores no activo”.
Pelas contas do SIESI, a EDP gastará por ano cerca de 125 mil euros com as refeições gratuitas servidas aos beneficiários. Por isso, Manuel Correia, diz que “é muito estranho que uma empresa como a EDP acabe com uma prestação social destas”.
A eléctrica esclarece que esta decisão visa apenas “distribuir melhor o apoio que presta aos seus reformados” e sublinha que isto não era “um direito consignado”. Segundo a EDP, menos de 10% dos reformados usufruíam desta regalia e que o faziam essencialmente em Lisboa e no Porto, onde a média de pensões é mais elevada, pelo que a EDP considera essencial “redireccionar a verba para apoiar os mais carenciados em todo o País. O acesso aos refeitórios mantém-se, mediante pagamento.
PERFIL
António Mexia tem 50 anos, é licenciado em Economia pela Universidade de Genéve onde iniciou a sua carreira profissional como Assistente do Departamento de Economia. Após várias empresas, em 2000 integra a Galp Energia como vice-presidente do Conselho de Administração. Em 2004 é nomeado ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações do XVI Governo Constitucional. Findo o mandato assumiu a presidência da EDP.
LISTAS QUASE CONCLUÍDAS
A EDP está a concluir a elaboração das listas dos consumidores a quem tem de devolver cauções cobradas na celebração de contratos anteriores a 1998. Estas listas têm de ser divulgadas até ao dia 21 de Setembro, através de afixação em editais nas Juntas de Freguesia da área dos clientes com direito a restituição. A existência das listas será anunciada nos principais jornais nacionais, de acordo com as regras fixadas pela ERSE - Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos. As cauções não restituídas referem-se a 1 298 767 contratos de fornecimento de electricidade que fazem com que a EDP tenha de devolver 20,41 milhões de euros, ou seja, uma média de 15,7 euros por cada um daqueles consumidores domésticos. As restituições vão aplicar-se, também, ao gás natural, com as empresas do universo Galp a devolverem 311 mil euros referentes a 6730 contratos. Desde 2000, quando a restituição foi decidida, a EDP e a Galp já devolveram 62 milhões de euros.
SAIBA MAIS
1,456
Mil milhões de euros foi quanto a EDP – Energias de Portugal investiu em 2006. Este ano, a empresa comprou a norte-americana Horizon por dois mil milhões de euros.
14,735
Mil milhões de euros é o valor de mercado da EDP, cujas acções caíram ontem 0,24 por cento, para 4,03 euros.
TRABALHADORES
A empresa energética presidida por António Mexia tem mais de 14 mil trabalhadores.
FACTURAÇÃO
A EDP registou o volume de negócios de 10,349 mil milhões de euros no ano passado, mais 6,95 por cento que em 2005.
CLIENTES
A maior operadora eléctrica portuguesa abastece mais de 9,7 milhões de clientes domésticos e empresariais.
APONTAMENTOS
APOIO COM 30 ANOS
O almoço diário gratuito para os reformados e pré-reformados é, segundo o SIESI, assegurado há mais de 30 anos.
DISTRIBUIÇÃO
As senhas podem ser levantadas à sexta-feira, com vista à sua utilização na semana seguinte.
REFEITÓRIOS
A EDP tem vários refeitórios dispersos por todo o País. Existem em Lisboa, Setúbal, Sines, Carregado, Porto, Coimbra e Leiria.
PREÇO DE 4,2 EUROS
O preço da refeição no refeitório da EDP é de 4,2 euros por pessoa. Cinco refeições gratuitas por semana, dá um total semanal de 21 euros por colaborador.
CARÊNCIAS
Ao abrigo de um protocolo assinado em Junho último, a Associação de Reformados da EDP está a fazer um levantamento das carências dos antigos trabalhadores da empresa por todo o País.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)