Barra Cofina

Correio da Manhã

Economia
1

Ministro das Finanças admite estagnação da economia

O ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, afirmou esta sexta-feira que a economia portuguesa está numa situação debaixo crescimento ou estagnação, contudo considera ser excessivo falar-se em recessão. Face a este cenário, Teixeira do Santos desafiou o sector privado a ser o motor da recuperação.
2 de Setembro de 2005 às 17:15
No final da tomada de posse de quatro novos directores-gerais das Finanças, Teixeira dos Santos reconheceu que a conjuntura económica é, sem dúvida, “preocupante” e desafiou o sector privado a reagir, considerando que este tem “uma responsabilidade inalienável no esforço de inversão do actual clima de pessimismo e do fraco crescimento económico”. “Mas o Estado está plenamente ciente do papel que lhe cabe na retoma da confiança dos agentes económicos, na criação de um ambiente macroeconómico e institucional favorável à competitividade, ao emprego e ao crescimento», acrescentou o ministro das Finanças.
O governante reconheceu que o aumento contínuo do preço do petróleo e a evolução da conjuntura internacional obrigam a uma reavaliação das expectativas de crescimento da economia portuguesa, mas considera que é ainda prematuro fazê-la. Teixeira dos Santos afirmou que estas novas previsões serão feitas com o quadro macroeconómico do Orçamento do Estado (OE) a apresentar em meados de Outubro à Assembleia da República.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)